ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Administrador do INSP afirma que Cabo Verde está “conectado” com a saúde do planeta e da população 07 Abril 2022

O administrador executivo do INSP, Júlio Rodrigues, disse hoje que Cabo Verde está em “perfeita conexão” com a saúde do planeta e da população, tendo para isso desenvolvido e implementado vários mecanismos para a promoção da saúde.

Administrador do INSP afirma que Cabo Verde está “conectado” com a saúde do planeta e da população

O responsável do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) fez essas considerações em declarações à Inforpress, no âmbito do Dia Mundial da Saúde, que se assinala hoje, este ano sob o lema “Nosso Planeta, Nossa Saúde”.

“Cabo Verde tem desenvolvido e implementado vários mecanismos para a promoção da saúde do planeta, sempre numa perspectiva uma só saúde. No âmbito internacional e regional somos signatários de vários tratados e convenções, nomeadamente a da adaptação da saúde pública às alterações climáticas”, disse.

Para cumprir com o desígnio “Uma só Saúde”, segundo disse, o País tem desenvolvido e implementado planos de ações conjuntas e iniciativas no âmbito do plano de ação nacional para o ambiente, na luta contra a desertificação, no plano de adaptação da saúde pública às mudanças climáticas, no plano estratégico nacional de água e saneamento, assim como no plano de prevenção de resíduos e gestão dos resíduos hospitalares.

De acordo com Júlio Rodrigues, o reforço da ação intersetorial estabeleceu o Comité de Coordenação (atualmente a Comissão estratégica multissetorial da instância nacional de coordenação para a abordagem Uma Só Saúde), que é uma plataforma de abordagem “One Health” e que integra os departamentos técnicos responsáveis pela saúde humana, saúde animal e saúde ambiental.

A comissão, adiantou, funciona junto do Instituto Nacional de Saúde Pública (INSP) e é a instância de ligação ao Centro Regional de Vigilância e Controlo de Doenças (CRVCD), ao Centro Regional da Saúde Animal (CRSA) da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e à Organização Mundial da Saúde (OMS) no contexto sanitário internacional.

Questionado sobre o que o País precisa para a monitorização sanitária no âmbito de saúde animal, ambiental e humana, Júlio Rodrigues salientou que ações têm vindo a ser desenvolvidas através das instituições parceiras para análise da situação sanitária e ambiental, com especial realce para a degradação do solo, biodiversidade, recursos hídricos e saúde e ambiente.

“No capítulo saúde e ambiente, o diagnóstico destaca, entre outros, desafios no que diz respeito ao saneamento do meio e à poluição atmosférica e mudanças climáticas”, acrescentou, informando, por outro lado, que está em curso o mapeamento/cartografia de riscos visando intervenções que possam responder às situações reais do País.

Nesta linha de ideias, salientou que Cabo Verde, através das instituições competentes, elaborou o plano nacional de segurança sanitária, para o reforço da abordagem “Uma só Saúde”.

Neste âmbito, indicou que Cabo Verde precisa desenvolver mecanismos de empoderamento e sinergias que reforcem intervenções coordenadas, trabalhar com base em evidências, através de mapeamento de riscos, promover análise da situação frequente e desenvolver pesquisas operacionais e avançadas.

Quanto às respostas multissetoriais aos riscos de segurança alimentar e outras ameaças à saúde pública, aquele responsável avançou a implementação de medidas para fazer face aos desafios em matéria de saúde e ambiente.

Apontou, como exemplo, os resíduos hospitalares, a operacionalização do aterro sanitário de Santiago, introdução de embalagens biodegradáveis, qualidade da água para consumo, programa de adaptação da atividade de agropecuária às mudanças climáticas, reforço do sistema de alimentação animal, entre outros.

O Dia Mundial da Saúde, celebrado a 07 de Abril, concentra a atenção global em ações urgentes necessárias para manter os seres humanos e o planeta saudáveis e na promoção de um movimento para criar sociedades focadas no bem-estar.

A OMS estima que mais de 13 milhões de mortes em todo o mundo a cada ano são resultado de causas ambientais evitáveis.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project