INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

África do Sul: Faleceu FW de Klerk, último presidente do apartheid 11 Novembro 2021

Frederick de Kerk, último presidente do apartheid, morreu esta quinta-feira aos 85 anos, vítima de doença prolongada. Em 1993 partilhou com Nelson Mandela o Nobel da Paz, atribuído em reconhecimento do seu trabalho conjunto para a reconstrução da paz e desenvolvimento na África do Sul.

África do Sul: Faleceu FW de Klerk, último presidente do apartheid

Frederick Willem de Kerk morreu esta quinta-feira em casa, na cidade do Cabo, rodeado da esposa e dos dois filhos. Segundo o comunicado da Fundação que leva o nome do antigo presidente sul-africano, o seu fim chegou após uma batalha de anos contra o cancro.

De Klerk foi uma figura controversa na África do Sul: para muitos, foi o implacável executor da violenta repressão dos direitos da maioria segregada de negros e da perseguição a ativistas anti-apartheid durante os anos em que esteve no poder.

Por outro lado, a sua mudança na direção política com vista a terminar o apartheid valeu-lhe o ódio dos africâneres, para quem passou a ser "o traidor" que destruiu o poder "branco". Primeiro ao libertar Mandela em 1990. Depois ao passar-lhe o poder presidencial após as primeiras eleições democráticas em 1994.

Reação de antigo adversário

Entre os maiores adversários do apartheid destaca-se o reverendo Desmond Tutu, que no mesmo dia do passamento de FW de Klerk emitiu um comunicado.

De Klerk "é uma importante figura da história sul-africana. Ele reconheceu o momento para a mudança e demonstrou a vontade de agir nesse sentido", expressou o arcebispo anglicano Desmond Tutu, de 90 anos.

No entanto, destaca Tutu que de Klerk "tentou evitar a sua grande responsabilidade nos enormes crimes do apartheid", designadamente no seu depoimento na Comissão Verdade e Reconciliação".

Nessa ocasião Tutu que presidia à Comissão lamentou a "pouca verdade e pouca reconciliação", por parte de "FW de Klerk que evitou pedir desculpa incondicionalmente pelos erros do apartheid", relembrou no Tutu no comunicado de hoje.

Réplica em mensagem póstuma

Em resposta a Tutu, a fundação em nome de FW de Klerk divulgou um vídeo póstumo em que o último presidente do apartheid se dirige aos sul-africanos nos seguintes termos.

"Permitam-me hoje, na minha última mensagem, repetir: Errei e peço perdão pela dor e sofrimento, bem como a indignidade e danos, aos negros, castanhos e indianos na África do Sul", disse em voz fraca.

Falou da mudança na sua mentalidade operada nos anos oitenta: "Foi como se eu me tivesse convertido. E no mais fundo do meu coração compreendi que o apartheid era errado. Compreendi que tínhamos chegado a um lugar que era moralmente injustificável".

Fontes: Sky News/AP. Foto: De Klerk e Mandela posam com o diploma e a medalha do Nobel da Paz, em 10 de dezembro de 1993 em Oslo.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project