INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Alemanha: Novo chanceler promete dias melhores 09 Dezembro 2021

Olaf Scholz foi eleito esta quarta-feira (08.12) pelo Parlamento alemão (Bundestag), chanceler da Alemanha. O social-democrata sucede à conservadora Angela Merkel.

Alemanha: Novo chanceler promete dias melhores

Scholz "passou” com os votos do seu partido – o SPD e os aliados na coligação governamental - verdes e liberais que compõem a maioria no Parlamento.

De 63 anos, o até agora vice-chanceler e ministro das Finanças - sucede no cargo à conservadora Angela Merkel, que passa o poder após 16 anos – ou seja nada menos de 5860 dias - no Executivo germânico.

Olaf Scholz assume o Governo de um país em profunda crise. Uma crise económica, que tem a ver – sobretudo - com a pandemia da Covid-19, que está longe de ser ultrapassada.

Há também grandes desafios nos campos da imigração, e problemas ao nível das infra-estruturas, ou seja, nas redes digitais, na distribuição de energia, no setor da saúde, no setor do ensino.

Former German Chancellor Merkel bids farewell to her successor Scholz in Berlin
Angela Merkel (esq.) deixa o Executivo alemão 16 anos depois

Mas o novo chanceler prometeu tudo fazer para tirar rapidamente o país desta profunda crise: "Vamos recorrer a todos os métodos necessários para ultrapassar os problemas e colocar à disposição todos os meios financeiros disponíveis, pois o objetivo é saír rapidamente desta difícil situação”.

União e espírito de equipa

No início do ano corrente, apenas poucos observadores acreditavam que o SPD de Olaf Scholz viria a ser o partido mais votado nas legislativas de setembro.

Na altura apenas se discutia se o próximo chanceler seria Armin Laschet, do partido cristão-democrata, ou Annalena Baerbock, dos Verdes, pois eram estes os partidos que lideravam nas sondagens.

Os social-democratas de Olaf Scholz eram colocados apenas em terceiro plano, com resultados a rondar os 15 por cento nas sondagens.

Olaf Scholz lembrou há dias que vale a pena acreditar, pois o seu partido foi subindo palmo a palmo e acabou em primeiro lugar, nas eleições de setembro com 25,7% dos votos, empurrando a CDU de Angela Merkel para segundo lugar com 18,9 por cento. Os Verdes obtiveram 14,8% e o FPD 11,5%.

"Unimo-nos e criámos um espírito de equipa no seio do nosso partido”, revelou o social-democrata que lembra agora: "Dissemos que queríamos vencer e finalmente – camaradas – vencemos, de facto, as eleições para o parlamento federal”.

Composição do Governo

Três partidos formam a coligação governamental de Olaf Scholz, o SPD social-democrata, os Verdes ecologistas e os liberais do FDP.

O novo Governo terá, ao todo, 16 ministros, 8 homens e 8 mulheres, sendo que o presidente dos liberais, Christian Lindner será o ministro das finanças, e a dirigente dos Verdes, Annalena Baerbock, ocupará a pasta dos Negócios Estrangeiros.

Muitos observadores são de opinião de que pouco ou nada mudará a nível de política externa e de cooperação com o continente africano. A semana com DWÁfrica

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project