INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Amigo da verdade é inimigo a perseguir no guia Bayer-Monsanto, ficheiro ilegal de 200 decisores franceses 12 Maio 2019

Uma investigação jornalística trouxe à luz um documento que, elaborado por agências de lobby para a multinacional Bayer-Monsanto, classifica duas centenas de personalidades francesas como "a vigiar", "a educar", "aliado" "potencial aliado a recrutar" consoante as suas posições sobre o glifosato — que a OMS classifica como cancerígeno e a multinacional agroquímica contesta.

Amigo da verdade é inimigo a  perseguir no guia Bayer-Monsanto, ficheiro ilegal de 200 decisores franceses

Em torno de duas centenas de personalidades, só em França, desde cientistas a políticos e jornalistas, estão "fichadas" pela multinacional americana agroquímica Monsanto-Bayer, noticia o Le Monde desta quinta-feira, 9.

A investigação realizada pelo diário parisiense e a France 2 conduziu até ao documento confidencial que compila dados pessoais e posições de umas duzentas pessoas sobre o glifosato, os OGM (organismos geneticamente modificados) e pesticidas — em suma, o coração do negócio da agroquímica Monsanto-Bayer.

Entre os nomes, ilegalmente fichados com dados pessoais confidenciais, constam os de ministros, desde 2016, como Stéphane Le Foll (Agricultura), Ségolène Royal (Ambiente), Marisol Touraine (Saúde), Bruno Le Maire (Economia e Finanças), o do presidente da região Hauts-de-France, Xavier Bertrand, o do presidente do INRA-Instituto Nacional da Investigação Agronómica, Philippe Mauguin. O Le Monde noticia ainda que constam cinco jornalistas seus na lista, que atinge uma centena de jornalistas, e que já aparesentaram queixa.

O ficheiro — produzido por agências de comunicação, como a americana Fleishman Hillard, que ilegalmente compilou dados pessoais, a francesa Publicis, a pedido da Monsanto, que é a designação da Bayer em território dos Estados Unidos — organiza-se em “Monsanto França-base de dados das partes”, que se propõe “cultivar a confiança Monsanto”.

As personalidades são avaliadas e classificadas de 1 a 5 não só em função do seu potencial de influenciar decisões e credibilidade mas também sobre a confiança que elas têm na agroquímica.

A Monsanto-Bayer até agora conseguiu, com raríssimas exceções, ganhar os milhares de processos contra si, e tem conseguido defender o glifosato contido, designadamente, no herbicida vendido sob o nome comercial Roundup nos Estados Unidos, e Mata-Mato no Brasil (ambos estarão eventualmente ao alcance dos utentes em Cabo Verde, mas desconhece-se a extensão do seu uso entre nós, já que aparentemente não surge nos circuitos comerciais formais).

Fontes citadas. Arquivo: EUA: Doente de cancro terminal vence Monsanto-Bayer em tribunal – Indemnização de $80,8 milhões por ocultação de dados do glifosato em herbicida Roundup/Mata-Mato, 29.3.2019. Foto: O glifosato que a OMS classifica de cancerígeno continua a ter largo uso como pesticida na agricultura. LS

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project