LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Angola: Celebra "4 de Fevereiro de 1961" 04 Fevereiro 2022

É sob o lema "Angolanos de mãos dadas para o futuro" que esta sexta-feira Angola celebra a data do início da "luta de libertação" nacional. Foi na madrugada de 4.2.1961 que um grupo de nacionalistas tomou de assalto duas prisões, a Casa de Reclusão e a Esquadra da PSP de Luanda, a fim de libertar os prisioneiros políticos.

 Angola: Celebra

A agência noticiosa angolana, Angop, destaca as celebrações em Luena, província do Moxico, onde ouviu o general reformado José Domingos Francisco Tuta “Ouro de Angola” (foto)a exaltar o "4 de Fevereiro de 1961 pelo seu papel decisivo na Independência Nacional, proclamada em 11 de Novembro 1975".

O assalto às duas prisões em Luanda há sessenta e um anos teve uma ressonância mundial enorme. Despertou o mundo para a situação da colónia portuguesa onde grassava a miséria dos nativos sem direito à sua nacionalidade angolana.

" Foi graças à coragem de vários nacionalistas que conseguimos conquistar a nacionalidade angolana e temos um país”, disse o general Tuta que participou nesse levantamento nacional.

"As gerações vindouras devem saber o quanto custou a Independência e a reconstrução, a fim de promover a confiança entre os angolanos, independentemente das diferenças na diversidade cultural e política do país", disse o governador provincial Gonçalves Muandumba durante o ato solene em memória desta data histórica.

O governante lembrou que a "Libertação Nacional, perante o jugo colonial português" é uma conquista que deve ser lembrada a fim motivar a "alavancagem do desenvolvimento sustentável do país".

Jovens chamados a preservar memória

Por sua vez, o académico Raimundo Zango Matchai, disse, durante uma palestra alusiva a data, que os ganhos alcançados com Independência Nacional, a 11 de Novembro de 1975, exigem dos jovens enormes sacrifícios, para a sua preservação.

Para o palestrante, a consciência deve estar virada, cada vez mais, "ao caminho que leve ao desenvolvimento, que possam gerar riquezas aos cidadãos, pois a liberdade, autonomia e independência, já estão conquistadas pelos heróis de 4 de Fevereiro".

Fontes: Jornal de Angola/Angop/RDP-África. Fotos: Destaca-se a ausência quer de atos solenes na capital — onde tudo se passou — quer de representantes ao alto nível da República.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project