LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Angola: Lourenço nomeia executivo de continuidade e com poucas caras novas 17 Setembro 2022

O Presidente angolano nomeou hoje um novo executivo com 28 membros, incluindo quatro ministros de Estado, em que apenas cinco são estreantes, entregando o Governo de Luanda, a Manuel Homem, ex-ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

Angola: Lourenço nomeia executivo de continuidade e com poucas caras novas

Adão de Almeida é reconduzido no cargo de Ministro de Estado e Chefe da Casa Civil do Presidente da República; tal como Manuel José Nunes Júnior, no de Ministro de Estado para a Coordenação Económica do Presidente da República e Francisco Pereira Furtado mantém-se como Ministro de Estado e Chefe da Casa Militar do Presidente da República.

Dalva Ringote Allen, ex-secretária de Estado da Economia é promovida Ministra de Estado com a pasta da Área Social

Permanecem inalterados João Ernesto dos Santos, como Ministro da Defesa Nacional, Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria; Eugénio Cesar Laborinho, no cargo de Ministro do Interior, e Téte António, para o cargo de Ministro das Relações Exteriores.

Marcy Cláudio Lopes, até agora Ministro da Administração do Território é o novo Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos, sendo substituído no cargo anterior por Dionísio Manuel da Fonseca, que foi vice-governador para o setor Político e Social em Luanda.

Vera Daves de Sousa volta a ser Ministra das Finanças; o mesmo acontece com Mário Caetano João, que mantém a tutela da Economia e Planeamento, Teresa Rodrigues Dias, que continua a ser da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, e António Assis, que se mantém com a Agricultura e Florestas.

Victor Fernandes é reconduzido como Ministro da Indústria e Comércio, Diamantino Pedro Azevedo, como Ministro dos Recursos Minerais, Petróleo e Gás; Ricardo Viegas D´Ábreu, como Ministro dos Transportes;

João Baptista Borges, como Ministro da Energia e Águas; e Felipe Zau, no cargo de Ministro da Cultura e Turismo, deixando de ter a tutela do Ambiente.

Mantém-se também Maria do Rosário Sambo, no ministério do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação,

Luísa Grilo, no da Educação, e Sílvia Lutucuta, no ministério da Saúde.

A bióloga Carmen Neto dos Santos estreia-se no cargo de Ministra das Pescas e Recursos Marinhos, cuja tutela estava anteriormente fundida com a da Agricultura.

Carlos Alberto Gregório dos Santos, ascende da secretaria de Estado para o cargo de Ministro das Obras Públicas, Urbanismo e Habitação; tal como Mário Augusto da Silva Oliveira, até agora secretário de Estado e que vai assumir o cargo de Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social;

Ana Paula do Sacramento Neto troca a pasta da Juventude e Desportos, que vai ser assumida por Palmira Leitão Barbosa, pelo cargo de Ministra da Ação Social, Família e Promoção da Mulher.

Ana Paula de Carvalho, que era governadora de Luanda será a nova ministra do Ambiente, depois de este setor se autonomizar.

Também os cargos de governadores contemplam poucas novidades, sendo a de maior destaque, o governo de Luanda que vai ser assumido por Manuel Homem, o ex- Ministro das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social.

Pereira Alfredo, foi novamente indicado para cargo de Governador do Bié; Maria Antónia Nelumba ascende a Governadora do Bengo; Job Capapinha, mantém a Província do Cuanza Sul;

Lotti Nolika, mantém-se no Huambo; Nuno Bernabé Mahapi Dala, na Huíla; Luis Nunes em Benguela, enquanto Mara Quiosa troca o Bengo por Cabinda

Gerdina Ulipamue Didalewa repete-se como Governadora do Cunene, tal como José Martins, no Cuando Cubango.

Pedro Maquita Armando Júlia, troca o Zaire pelo governo Cuanza Norte; Deolinda Ódia Paulo Satula Vilarinho é nomeada Governadora da Província da Lunda Norte; Daniel Felix Neto, continua com a Lunda Sul;

Marcos Alexandre Nhunga sai de Cabinda para o governo de Malanje; Ernesto Muangala, troca a Lunda Norte pelo Moxico; Archer Mangueira, fica de novo no Namibe, tal como José Carvalho da Rocha, no Uíge.

Adriano Mendes de Carvalho, que já foi governador de Luanda e do Cuanza Norte, foi agora escolhido para o cargo de Governador da Província do Zaire. A Semana com Lusa/Foto: © Reuters

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project