LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Angola-Portugal: Já é uma vitória ter a Ana Gomes sentada no banco dos réus, diz Isabel dos Santos 18 Dezembro 2019

A ex-deputada Ana Gomes reiterou hoje (17) no tribunal de Sintra — onde está a responder como acusada na ação cível que lhe moveu a queixosa Isabel dos Santos — que a empresária angolana tem usado a banca portuguesa para "branquear" a duvidosa origem da sua fortuna.

A ex-eurodeputada Ana Gomes, a ré que na audiência esta terça-feira continuou a recusar retractar-se e disse subscrever na íntegra tudo o que escreveu, reiterou que a empresária Isabel dos Santos e "outros cleptocratas angolanos" utilizam a banca portuguesa para "branquear" fundos desviados de Angola, em prejuízo do povo angolano.

Na sessão de julgamento deste processo cível motivado pelos seus ’tweets’, Ana Gomes voltou a repetir as afirmações e o teor das publicações na rede Twitter. Indicou ainda que fez diversas participações às instâncias judiciárias e financeiras europeias e de Portugal no sentido de investigarem os negócios e a origem do dinheiro investido por Isabel dos Santos em negócios em Portugal, nomeadamente "através do Eurobic e de outras empresas sediadas em paraísos fiscais ou na zona franca da Madeira".

E sobre isso tinha uma testemunha de peso: o jornalista angolano Rafael Marques que há décadas denuncia a "cleptocracia" dos dirigentes do MPLA.

Em tribunal esta testemunha disse que os ’tweets’ da portuguesa "não causaram espanto a ninguém" em Angola porque a Isabel dos Santos "tem a imagem de uma depredadora".

Rafael Marques acrescentou que a empresária tem evitado deslocar-se ao seu país onde é "suspeita do desvio de mais de 100 milhões de euros" quando já estava de saída da presidência da Sonangol (empresa de petróleos de Angola).

A juíza marcou para quinta-feira à tarde (15.30 horas) a realização das alegações deste processo cível.

"Lava que se farta"

A audiência em tribunal da queixa por difamação que a empresária angolana Isabel dos Santos apresentou contra a ex-eurodeputada socialista aconteceu na data prevista. 17 de dezembro, dois meses após a denúncia sobre as falhas dos bancos na prevenção do branqueamento de capitais.

Ana Gomes, conhecida personalidade do Partido Socialista, expressou que a primeira bilionária africana e filha do ex-presidente de Angola "lava que se farta" em Portugal.

A queixosa pede cinco mil euros de indemnização por cada dia que o ’tweet’ estiver no ar — e já lá vão 63 dias.

Após esse tweet de 14 de outubro, a ex-deputada voltou à carga dois dias depois para acrescentar que a empresária angolana usa o EuroBic, banco privado de direito português, de capitais luso-angolanos, sediado em Lisboa desde 2008.

O EuroBic de imediato anunciou que ia levar Ana Gomes a tribunal. Quase dois meses decorridos sobre essa primeira reação do banco, a ex-eurodeputada socialista afirma que continua à espera de mais essa notificação para poder apresentar provas em tribunal.

Fontes: JN/Twitter/arquivos. Relacionado: Portugal-Angola: Ana Gomes diz que Isabel dos Santos "lava que se farta" e BP fecha os olhos, 16.out.019; Angola vive em "instabilidade, não é de confiança para os investidores", diz Isabel dos Santos, 16.out.019.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project