REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Apoio à Rússia? África do Sul esclarece polémica com os EUA 13 Maio 2023

A África do Sul afirma que o embaixador dos Estados Unidos em Pretória admitiu que "passou dos limites", manifestando "total desagrado" com a conduta do diplomata que acusou o Governo de fornecer armamento à Rússia.

Apoio à Rússia? África do Sul esclarece polémica com os EUA

O Governo sul-africano referiu, na sexta-feira (12.05), que após uma reunião com a chefe da diplomacia Naledi Pandor, em Pretória, o embaixador norte-americano, Reuben Brigety, "admitiu que passou dos limites e pediu desculpas sem reservas ao Governo e ao povo da África do Sul".

Em comunicado, a que a Lusa teve acesso, o Ministério das Relações Internacionais e Cooperação sul-africano considerou que "o comportamento do embaixador dos EUA na África do Sul é intrigante e em desacordo com o relacionamento mutuamente benéfico e cordial que existe entre os Estados Unidos da América e a África do Sul".

Apoio militar à Rússia
Na quinta-feira (11.05), o embaixador dos Estados Unidos em Pretória acusou a África do Sul de fornecer apoio militar à Rússia, apesar da sua declarada neutralidade no conflito com a Ucrânia.

De acordo com Reuben Brigety, que falava num encontro com os meios de comunicação social locais, os EUA estão convencidos de que "armas e munições foram carregadas" a bordo de um cargueiro russo, que atracou na base naval de Simon’s Town, perto da Cidade do Cabo, no início de dezembro "antes de partir para a Rússia".

Na altura, o principal partido da oposição da África do Sul, a Aliança Democrática (DA, na sigla em inglês), pediu ao Governo que explicasse como é que um cargueiro russo, alvo de sanções ocidentais, foi autorizado a atracar num porto do país.

Pretória sublinhou hoje que a África do Sul é "conhecida mundialmente" por ter um dos processos "mais rigorosos" na venda de armas a outros países.

"O processo é administrado pelo Comité da Convenção Nacional de Controle de Armamento (NCACC), que foi criado através de uma lei do parlamento, a Lei Nacional de Controle de Armas Convencionais 41 de 2002 (Lei NCAC) e da Constituição", salientou.

Investigação

O Governo sul-africano anunciou que o Presidente da República, Cyril Ramaphosa, decidiu instaurar um inquérito, presidido por um juiz aposentado, para investigar as alegações feitas pelo embaixador dos EUA na África do Sul.

Pretória apelou também à embaixada dos EUA no país para "usar os canais diplomáticos de comunicação estabelecidos para transmitir quaisquer preocupações ou procurar esclarecimentos sobre quaisquer mal-entendidos que possam surgir no relacionamento bilateral".

Por seu turno, o diplomata norte-americano, após os esclarecimentos junto ao Governo sul-africano, reafirmou "a forte aliança" entre os Estados Unidos e a África do Sul, bem como "a importante agenda" de assuntos que ambos os presidentes têm.

O secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, também contactou na sexta-feira as autoridades de Pretória para "enfatizar a importância do relacionamento estratégico entre os Estados Unidos e a África do Sul", bem como a cooperação em questões comerciais, de saúde e energia, divulgou o Departamento de Estado. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project