REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Aquecimento global ameaça extinguir entre 25% a 50% das espécies 16 Mar�o 2018

Entre um quarto e metade das espécies poderão estar ameaçadas de extinção pelo aquecimento global até 2080 na Amazónia, em Madagáscar e numa trintena de regiões do mundo entre as mais ricas em biodiversidade.

Aquecimento global ameaça extinguir entre 25% a 50% das espécies

De acordo com um estudo divulgado esta quarta-feira, as alterações climáticas colocam em risco metade das espécies vegetais e animais de ecossistemas importantes como a Amazónia, o sudoeste da Austrália e as florestas de miombo da África austral.

O estudo, das universidades de East Anglia (Reino Unido) e James Cook (Austrália) e da organização não governamental internacional World Wide Fund for Nature (WWF), é publicado hoje na revista Climatic Change, a poucos dias da "Hora do Planeta" (a 24 de Março, o maior evento ambiental do mundo).

A investigação conclui que se as emissões de dióxido de carbono não forem controladas, metade das espécies de animais e plantas de áreas naturais do mundo, como a Amazónia ou as ilhas Galápagos, podem extinguir-se até ao fim do século. E que mesmo que se consiga evitar a subida da temperatura global, a perda de espécies poderá chegar a 25%.

Os investigadores examinaram o impacto das alterações climáticas em quase 80 mil espécies de plantas e animais de áreas ricas em biodiversidade e vida selvagem. “Cada área estudada foi escolhida pela sua singularidade e pela variedade de plantas e animais que contem”.

E concluíram que as florestas de miombo, o maior bioma da África Austral e Central que abrange oito países (Angola e Moçambique incluídos), o sudoeste da Austrália e a Amazónia serão as áreas mais afectadas.

Com um aumento médio da temperatura global em 4,5 graus célsius, as florestas de miombo na África do Sul perderiam até 90% dos anfíbios, 86% das aves e 80% dos mamíferos, a Amazónia perderia 69% das espécies de plantas e no sudoeste australiano 89% dos anfíbios seriam extintos.

Perante esta situação, os investigadores revelam que o aumento das temperaturas médias e a precipitação mais errática podem reduzir as chuvas no Mediterrâneo, em Madagáscar e no Cerrado-Pantanal da Argentina, acrescentando que os elefantes africanos terão menos água disponível, que 96% das áreas de reprodução dos tigres de Sundarbans (região entre a Índia e o Bangladesh, na Baia de Bengala) podem ficar submersas, e que a população de tartarugas marinhas também diminuirá.

"A nossa investigação quantificou os benefícios de limitar o aquecimento global a dois graus célsius no que respeita a espécies de 35 das mais ricas áreas em vida selvagem do mundo. Estudamos 80 mil espécies de plantas, mamíferos, aves, repteis e anfíbios e descobrimos que 50% das espécies podiam perder-se nessas áreas sem uma política climática. No entanto, se o aquecimento global for limitado a dois graus acima dos níveis pré-industriais, a perda pode reduzir-se para 25%", disse a investigadora principal, Rachel Warren, do Centro Tyndall de Investigação das Alterações Climáticas, Universidade East Anglia, em Norwich, Inglaterra, recomendando que em geral, a investigação mostra que a melhor forma de proteger as espécies contra a extinção é manter a temperatura global o mais baixo possível.

A 24 de Março milhões de pessoas reúnem-se na iniciativa Hora do Planeta, para mostrar o compromisso de reduzir as emissões globais de gases com efeito de estufa.

Citado pelo "Mundo ao Minuto", a Tanya Steele, da WWF, alerta que na vida dos nossos filhos, locais da Amazónia ou as ilhas Galápagos podem tornar-se irreconhecíveis, "com metade das espécies que aí vivem a serem extintas pelas alterações climáticas causadas pelo homem".

Diz ainda, que animais icónicos do mundo, como o tigre siberiano ou o rinoceronte-de-java, estão em risco de desaparecer, além de dezenas de milhar de plantas e pequenas criaturas que são as bases da vida na Terra.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project