NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Artista político Petr Pavlensky expõe ’hipocrisia’ de Griveaux, aliado de Macron — Todos condenam atentado à vida privada que derrubou candidato a Edil de Paris 17 Fevereiro 2020

O ’artivista’ russo refugiado em França, desde 2017, divulgou online, na quarta-feira, 12, em nome da "verdade contra a hipocrisia" um vídeo "invasivo da vida privada" do candidato LREM à câmara de Paris. No dia seguinte, Benjamin Griveaux anunciou que se retirava da corrida. A esfera política — da socialista Anne Hidalgo à extrema-direita Marine Le Pen,... — condena o "desrespeito pela liberdade individual" e "atentado à vida privada".

Artista político Petr Pavlensky expõe ’hipocrisia’ de Griveaux, aliado de Macron — Todos condenam atentado à vida privada que derrubou candidato a Edil de Paris

Petr Pavlensky há dois anos refugiado político em França — ele que se tornou famoso por praticar "a arte dos extremos indo até ao auto-sacrifício" visando denunciar os "atentados contra a democracia" na Rússia sob Putin, que ele acusa de criar o "Estado Panóptico" — continua igual ao que sempre foi e tem sido notícia por polémicos atos, como as duas fogueiras ateadas sob janelas do Banco de França em 2017 (foto inferior), em nome da "arte política", mas que inquietam a sociedade de acolhimento.

A arte política de Pavlensky criou desde esta quarta-feira um sismo político que levou à desistência de Benjamin Griveaux, do partido LREM-La République en Marche/A República em Marcha, anunciada na sexta-feira, 14. Um dos principais candidatos nas Autárquicas de março, contra a atual Edil Anne Hidalgo, e um dos poucos que podia ter ganho uma autarquia para o partido LREM, o macronista Griveaux renuncia "para não nos expor mais, a mim e à minha família" a "ataques ignóbeis".

Na sexta-feira à tarde, pouco depois de anunciada a desistência de Griveaux, o Libération publicou online a entrevista telefónica de Petr Pavlensky, na noite anterior.

O artivista nessa entrevista explicou ter divulgado o vídeo — recebido de uma "fonte" que admitiu ter mantido uma relação consensual com Benjamin Griveaux" — para "denunciar a hipocrisia" do eleito LREM "que diz ser o candidato das famílias e cita sempre como exemplo a esposa e os filhos

A autenticidade do vídeo gravado em maio de 2018, quando Griveaux era porta-voz do governo, é confirmada — segundo o Le Monde na edição de sábado — por uma fonte próxima do político que diz que este "reconheceu a infelicidade do seu ato, mas que se tratou de diálogos entre adultos, com consentimento de ambas as partes".

Queixa em tribunal

O advogado de Griveaux anunciou no sábado que apresentou uma queixa "contra X, por atentado à vida privada".

"Trata-se de uma violação qualificada da vida privada, em infração ao código civil e ao código penal. Usaram a vida privada para desestabilizar um homem, para o sujar. A lei não permite isso", disse Richard Malka ao Le Monde.

Ao mesmo tempo, o advogado parisiense especializado em casos mediáticos, reconhece que "obter uma acusação eficaz contra este tipo de publicações é difícil".
...
Fontes referidas. Fotos (AFP): Griveaux anuncia na sexta-feira, 14, que desiste da candidatura à Câmara da capital; em julho de 2017 com Macron, recém-empossado presidente de quem foi porta-voz oficial. Pavlensky em 2019 e em 2012, aos 27-28 anos, quando coseu os lábios em protesto contra a repressão totalitária na Rússia de Putin. Em 2019, foi enviado para o manicómio após "a performance política", pela qual armou duas fogueiras sob duas janelas do banco central francês, Banque de France.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project