ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Aviação civil acerta com Brasil certificação do primeiro Embraer em Cabo Verde 18 Maio 2022

A Agência de Aviação Civil (AAC) de Cabo Verde estabeleceu uma parceria com a congénere brasileira ANAC para certificar a operação da primeira aeronave Embraer 190 por uma companhia do arquipélago, anunciou o regulador cabo-verdiano.

Aviação civil acerta com Brasil certificação do primeiro Embraer em Cabo Verde

A Agência de Aviação Civil (AAC) de Cabo Verde estabeleceu uma parceria com a congénere brasileira ANAC para certificar a operação da primeira aeronave Embraer 190 por uma companhia do arquipélago, anunciou o regulador cabo-verdiano.

Fonte da AAC.citada pela Lusa explicou que tem em análise o pedido de certificação de uma aeronave Embraer ERJ 190-100 IGW da companhia aérea Transportes Interilhas de Cabo Verde (TICV), do grupo BestFly, que opera no arquipélago há precisamente um ano.

“Esta é a primeira vez que esse tipo de aeronave, de fabrico brasileiro, será operado por uma companhia aérea cabo-verdiana”, refere fonte oficial da AAC, acrescentando que teve a necessidade de avançar para uma “parceria” com a Agência Nacional de Aviação Civil do Brasil (ANAC).

“Está a ser determinante no processo de certificação, pois permite que especialistas brasileiros ministrem formação, na modalidade ‘on job training’, aos inspetores de aeronavegabilidade da AAC de Cabo Verde nesse jato de corredor único”, acrescentou a fonte.

Anunciou igualmente que inspetores da AAC estão nos Estados Unidos da América para, “em colaboração com um inspetor da ANAC”, realizarem a “inspeção documental e física da aeronave e seus registos, com vista à certificação da aeronavegabilidade do aparelho”.

“O inspetor do Brasil irá atuar em nome da AAC para fazer a certificação. Proximamente, os inspetores de aeronavegabilidade da AAC serão qualificados numa Organização de Formação Aprovada e poderão conduzir todo o processo”, acrescentou a fonte.

Referiu também que “com a demonstração de interesse formal para a introdução deste novo tipo de aeronave na frota da TICV”, a AAC “fez a aceitação do Código de Aeronavegabilidade do Brasil”, tendo posteriormente emitido o respetivo Certificado de Aceitação da aeronave em causa.

“Se tudo correr conforme o previsto nos regulamentos, os próximos passos serão a emissão dos Certificados de Matrícula cabo-verdiana, assim como o Certificado de Aeronavegabilidade”, concluiu a fonte.

O Estado de Cabo Verde detém 30% da operadora aérea TICV, estando os restantes 70% nas mãos da BestFly.

Perspetivando a chegada da nova aeronave, o primeiro-ministro de Cabo Verde, Ulisses Correia e Silva, disse em Bissau, na semana passada, que brevemente a companhia aérea BestFly poderá começar a voar para a Guiné-Bissau, a partir da Praia, podendo também efetuar ligações para Portugal.

A Lusa noticiou em 29 de abril que a companhia aérea BestFly, responsável pelas ligações domésticas em Cabo Verde, através da TICV, recebeu o seu primeiro Embraer 190, com o qual prevê iniciar as operações em junho, após a conclusão da certificação pela AAC.

“É um investimento de importância estratégica para a aviação cabo-verdiana”, afirmou hoje à Lusa Nuno Pereira, presidente do conselho de administração do grupo de aviação de origem angolana.

Acrescentou que o pedido de certificação para este Embraer 190, “num trabalho conjunto” das equipas da BestFly em Cabo Verde e Angola, “representa a primeira do género, para um novo avião, desde há muito tempo e um avanço para aviação cabo-verdiana”.

Sem entrar em detalhes sobre a operação que será realizada pelo novo Embraer 190, Nuno Pereira confirmou a conclusão do negócio para o fornecimento, em regime de leasing, desta aeronave, que aguarda apenas a certificação pela AAC para ser movimentada para a Praia, admitindo que possa acontecer durante o mês de maio.

“Para iniciarmos a operação em junho”, disse ainda, garantindo que a nova aeronave vai “reforçar e complementar” a atividade que a BestFly já desenvolve em Cabo Verde, atualmente com dois ATR 72-600 nos voos domésticos no arquipélago, serviço que a empresa garante há praticamente um ano.

“Este novo avião faz parte de uma estratégia de complementaridade que inclui aviões mais pequenos para assegurar a viabilidade da operação e a conectividade interilhas de forma sustentável. A nossa ideia é ter em breve uma frota da BestFly Cabo Verde composta por seis aviões”, disse ainda o presidente do conselho de administração da companhia.

O grupo BestFly resulta de uma empresa de origem familiar criada em Angola e opera ainda em geografias como Dubai, República do Congo ou Portuga.refere a Lusa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project