DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Basquetebol: Cabo Verde vence duas potências africanas e está focado no Mundial – seleccionador 04 Julho 2022

O seleccionador de Cabo Verde de basquetebol enalteceu este domingo a forma como a selecção superou “duas potências do basquetebol africano”, Nigéria e Uganda, no Ruanda, e sublinhou que o colectivo está focado no apuramento para o Mundial.

Basquetebol: Cabo Verde vence duas potências africanas e está focado no Mundial – seleccionador

Em entrevista à Inforpress, directamente de Kigali (Ruanda), Emanuel Trovoada considerou que Cabo Verde conseguiu “uma grande vitória”, fruto do esforço “de todos”, do presidente federativo, Governo, patrocinadores e amantes da modalidade, mas sobretudo destes “brilhantes atletas”, para se qualificar à segunda ronda de qualificação para Mundial.

Mané, como é tratado no meio desportivo, afirmou que Cabo Verde conseguiu, uma vez mais, fazer jus ao lema “Onde tem união tem vitória”, para ressaltar que quando se une “este Cabo Verde é temível”.

Sublinhou que a selecção já almeja novos sonhos, já que está focada na sua qualificação para o Mundial.

“Ganhámos duas potenciais africanas, com mais de seis jogadores naturalizados americanos, com jogadores na NBA. Os cabo-verdianos devem estar orgulhosos da sua selecção. Orgulhem da selecção cabo-verdiana. Acreditamos no potencial que nós os cabo-verdianos temos. Se houver condições podemos voar de igual para igual com todos”, vincou.

“Saímos de Benguela na primeira fase do grupo em último lugar, chegamos ao Uganda saímos em primeiro lugar. Agora queremos melhores condições para corrermos atrás do nosso sonho, estar no Campeonato do Mundo de 2023. A segunda ronda começa em Agosto e termina em Fevereiro de 2023”, explicou.

Daí, prognosticou, se Cabo Verde começar a projectar esta qualificação com um trabalho programado, forte, para começar a competir em jogos treinos, as portas estarão abertas para uma possível qualificação, pois acredita que “os rapazes são incansáveis e determinados” em representar o País.

Trovoada referiu que Cabo Verde peca por falta de jogos colectivos, justificando que nos torneios de Benguela (Angola), que serviram de preparação para Uganda, a selecção cabo-verdiana fez três jogos de preparação que resultaram “num bom andamento para esta competição”.

Por isto, realçou que se Cabo Verde tiver um estágio de pelo menos 10/15 dias para trabalhar juntos e programar, pelo menos três jogos antes da última fase de qualificação africana, no Egipto, vai ser “um ganho muito grande”, já que a selecção vai ter oportunidade para melhor desenvolver os processos de jogos.

Sobre a qualificação para última fase africana rumo ao Mundial, Mané disse que no final da vitória sobre Uganda, o colectivo cabo-verdiano foi saudado pelos atletas e equipa técnica do Uganda, sobretudo pelo capitão que joga na NBA, pelo nível do basquetebol demonstrado por Cabo Verde, quando o combinado do Uganda vai aos EUA preparar a próxima fase.

A selecção cabo-verdiana de basquetebol qualificou-se para a segunda ronda de qualificação para Mundial’2023, a ser disputada em Japão, Filipinas e Indonésia, depois de derrotar Nigéria (sábado) e Uganda (domingo), no Ruanda, na segunda janela africana disputada no Arena Kigali, no Ruanda. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project