MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Bélgica: Embaixador em Seul perde cargo após embaixatriz esbofetear lojista, conflituar com varredor 10 Julho 2021

A ministra dos Negócios Estrangeiros da Bélgica, Sophie Wilmès, ordenou, na quarta-feira, 7, o regresso definitivo do embaixador belga em Seul, após o segundo incidente que envolve a embaixatriz em três meses. No mais recente, esta segunda-feira de manhã, Xiang Xueqiu, a esposa do embaixador Peter Lescouhier, envolveu-se num conflito com um varredor de parque em Seul.

Bélgica: Embaixador em Seul perde cargo após embaixatriz esbofetear lojista, conflituar com varredor

De acordo com uma fonte diplomática belga ao jornal ’online’ Político, a embaixatriz brigou com o varredor porque — alegadamente— se sentiu "incomodada com o ruído do cabo de vassoura". A situação agravou-se, apesar de não ter havido queixa da vítima, por ser a segunda gaffe, nada diplomática, em que Xiang Xueqiu se envolve na capital sul-coreana.

"Perante esta nova situação", o gabinete da vice-primeira-ministra e chefe da diplomacia belga, Sophie Wilmès, anunciou em comunicado que instruiu o regresso definitivo do embaixador, com "encerramento de todas as atividades".

Em abril, a esposa do embaixador foi acusada pela polícia sul-coreana de agressão física contra duas vendedoras. As funcionárias da loja teriam ofendido Xiang Xueqiu com a suspeita de que ela teria furtado roupas. A foto da face esbofeteada viralizou nas redes sociais.

O próprio embaixador lamentou a agressão "inaceitável" e pediu desculpas públicas, mas o impacto da ação da embaixatriz (filha de pais chineses) foi grande na Coreia do Sul, "país onde a lei é muito respeitada". A embaixatriz teve de recorrer à imunidade diplomática para evitar ser criminalizada.

No final de maio, a ministra Sophie Wilmès já tinha anunciado que durante este verão colocaria um fim ao mandato de Peter Lescouhier, que está em Seul como embaixador desde 2018.

Lescouhier deveria regressar à Bélgica no final deste mês, mas o conflito no parque da cidade-capital vai encurtar ainda mais a permanência do casal em Seul.

Difíceis relações entre diáspora chinesa e sul-coreanos

Independentemente dos factos interacionais presentes neste caso, há relatos e estudos que apontam as dificuldades existentes hoje na relação entre a diáspora chinesa e os sul-coreanos (https://www.scmp.com/...why-are-ethnic-chinese-leaving-south-korea-their-thousands).

Um primeiro sinal: diminuiu expressivamente a comunidade huaqiao, de chineses imigrados no país pró-capitalista. Aponta-se como principal razão desta fuga as restrições legais que estão a causar a quase "extinção da comunidade".

Mas cientistas sociais apontam que são os preconceitos sul-coreanos contra a potência nortenha a principal razão e que estes têm raízes bem fundas na história.

— -

Fontes: RTBF/Libre.be/Le Figaro/Outras referidas. Fotos: O vídeo da agressão viralizou nas redes sociais sul-coreanas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project