LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Bissau: Portugal expressa "toda a confiança" às autoridades da Guiné-Bissau 06 Mar�o 2022

Primeiro-ministro português, António Costa, disse que expressa confiança e solidariedade às autoridades de Bissau. E anuncia que Portugal vai enviar 30 especialistas no âmbito de uma cooperação militar.

Bissau: Portugal expressa

Em declarações à imprensa, após um encontro bilateral entre as duas delegações, António Costa expressou às "autoridades legítimas, democraticamente eleitas" da Guiné-Bissau toda a confiança, amizade e solidariedade de Portugal.

"Condenámos de imediato os acontecimentos de 01 de fevereiro e queríamos reafirmar a nossa solidariedade e a nossa visita aqui significa também um apoio à estabilidade, porque no mundo de hoje os conflitos têm de se resolver por via democrática pelo voto e não por qualquer outra forma", disse António Costa, referindo-se à guerra na Ucrânia.

Tentativa de Golpe

No passado 01 de fevereiro, as forças de defesa e segurança guineenses abortaram uma tentativa de golpe de Estado, que visava assassinar o chefe de Estado e membros do Governo.

"Infelizmente, estamos hoje a conhecer uma realidade de guerra militar muito feroz, inimaginável, no continente europeu e naquelas imagens devemo-nos inspirar para perceber o valor da paz, da vida e o valor que tem termos instituições democráticas e vivermos todos a nossa liberdade e ter a estabilidade necessária para que o progresso económico possa existir e todos possam melhorar a sua qualidade de vida", salientou António Costa.

O primeiro-ministro português recordou que Portugal e a Guiné-Bissau têm assinado um acordo estratégico de 60 milhões de euros, que será investido durante os próximos anos, mas que só produzirá efeitos que se houver a "necessária estabilidade".

"Situação um bocado complicada"

O chefe do Governo guineense, Nuno Gomes Nabiam, sublinhou que a visita de António Costa ao país acontece numa altura em que a Guiné-Bissau ficou "numa situação um bocado complicada" devido aos acontecimentos de 01 de fevereiro.

"Esta visita demonstra a solidariedade do Governo português com a Guiné-Bissau e demonstra também que o país é estável, há garantias de investimento e que as pessoas podem vir para aqui trabalhar sem qualquer problema", afirmou.

O primeiro-ministro também afirmou hoje que Portugal vai enviar, no âmbito da cooperação militar, 30 especialistas para formação e treino militar na Guiné-Bissau.

"Temos quatro projetos concretos que gostaríamos de ver avançar rapidamente. O primeiro é relativamente ao treino militar com a presença de 30 especialistas de diferentes áreas que nos próximos meses vão deslocar-se para Bissau no cumprimento desta missão de treino e formação", disse.

Costa aterrou hoje 05.03) em Bissau cerca das 13h50 (hora local) para uma visita de 24 horas, que inclui encontros com a comunidade portuguesa e com o chefe de Estado, Umaro Sissoco Embaló.

Neste domingo, antes de partir para Cabo Verde, ele deverá visitar o talhão português do cemitério de Bissau. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project