DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Boa Vista/Fórum Desporto 2022: Atletas internacionais cabo-verdianos deram depoimentos sobre percursos e motivações nas carreiras 28 Janeiro 2022

Atletas internacionais cabo-verdianos de varias modalidades desportivas a nível nacional e internacional deram os seus depoimentos sobre os seus percursos experiências e motivações nas suas carreiras desportivas, em conversa aberta durante o Fórum Desporto 2022.

Boa Vista/Fórum Desporto 2022: Atletas internacionais cabo-verdianos deram depoimentos sobre percursos e motivações nas carreiras

O boa-vistense Esquilson Nascimento, que foi o atleta a dar o “pontapé de saída” nesta apresentação conjunta, começou por destacar que conseguiu alcançar o seu próprio recorde, na Costa de Marfim, relembrando ainda que tentou o record em 100 metros.

“Já em Portugal preparei-me mais para os 100 metros que é o meu record a nível nacional. Ainda não tenho o record de 200 metros, mas quero preparar-me para o trazer para a Boa Vista e deixar minha marca no atletismo”, projectou, mostrando-se consciente que para isso terá de se dedicar intensivamente aos treinos.

O palco dos Jogos Olímpicos é outra meta traçada por Esquilson Nascimento antes de focar no objectivo de voltar a bater o seu próprio record e trazer a medalha para a sua ilha natal.

Também do atletismo, Carlos Morais começou por manifestar-se orgulhoso em praticar a modalidade, referenciando o seu companheiro de pista, Esquilson Nascimento, como o grande campeão que lhe motivou para continuar no desporto.

“Hoje sou campeão juvenil de sub-20 no atletismo. Vou estar sempre do seu lado e aprender coisas com Esquilson e espera a mesma reciprocidade”, afirmou revivendo que o seu começo no atletismo teve lugar em aulas de educação física.

Carlos Zandu de 18 anos terminou a sua apresentação reiterando que gosta de Usain Bold, mas que o seu ídolo é Esquilson Nascimento, companheiro que espera vir a ser o seu treinador transmitindo-lhe técnicas e experiência, de forma a ter mais oportunidades de representar Boa Vista e trazendo outras medalhas internacionais para Cabo Verde.

“Filhos do peixe, peixinho é”. Foi este o mote que o campeão nacional de natação em águas abertas, Steven Lima começou a contar que praia d´diante foi a sua primeira escola de natação ainda na altura que não tinha professor, mas dispunha de exemplos a seguir como, Kareca, Cadin e Tchilão.

Aos 17 anos subiu de escalão de Júnior para Sénior e aos 18 anos conseguiu também ultrapassar o seu ídolo Hercílio Almeida “Tchilão”.

Nos serviços militares apareceu a primeira oportunidade de participar numa competição em águas abertas, no percurso cais-gamboa, competição que venceu no 1º lugar, em 2008, fase em que começou a ganhar resistência e gosto por provas desta categoria.

Ailton Lima expôs que também principiou a carreira na modalidade de natação na praia d´diante, na categoria de júnior nas competições de festas de município, actividade que conseguiu arrecadar dois títulos do escalão júnior.

De regresso à ilha do Sal, declarou que conheceu um treinador que o acompanhou nos treinos e depositou toda a confiança nele, acreditando que poderia ter de ir mais longe nos seus alcances desportivos, altura em que foi o 2º lugar no campeão nacional na prova realizada na ilha do Sal.

Já no Campeonato Africano fez varias provas nos 200 metros da primeira serie, tendo conseguido o sexto lugar, enquanto que nos 400 e 800 metros ficou no sexto lugar.

“Agradeço o meu irmão Steven Lima porque se hoje tenho paixão, amor pela natação é graças a ele que me motivou e foi um espelho para seguir em frente”, concluiu, sobre o desejo de encontrar uma oportunidade de formar e especializar-se na modalidade para poder transmitir o que apreendeu aos mais novos.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project