Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Boa Vista: José Maria Neves vaticina vitória no dia 17 com sinais de uma receção «fantástica» com chuva amiga 09 Outubro 2021

Depois da ilha do Sal, José Maria Neves foi alvo, esta manhã, de mais uma « fantástica receção», na Boa Vista. Animado com a «calorosa receção» dos residentes - desde Porto de Sal-Rei, passando pelo Bairro da Boa Esperânça – JMN exprime «com alegira» acreditar que, com a chuva amiga que começou a cair com a sua chegada à ilha, é um sinal que, no dia 17, "a vitória é certa". O já apelidado «candidato a Presidente necessário» retomou o mesmo raciocínio num comício concorrido que decorreu, perto das 20 horas, na cidade de Sal-Rei, juntando, segundo fontes independentes, «uma boa moldura humana» no local.

Boa Vista: José Maria Neves vaticina vitória no dia 17 com sinais de uma receção «fantástica» com chuva amiga

“A recepção na Boa Vista foi extraordinária. Fui pensando com os meus botões – já ganhamos. Vamos ver qual será a margem”, afirmava um pouco feliz e galvanizado José Maria Neves, nas suas primeiras declarações à imprensa, a partir da Boa Vista.

Com «a bênção da natureza» através da chuva amiga que começou a caiir aquando da sua chegada à ilha das Dunas, José Maria Neves considerou, no comício que decorreu na Rua Amizade Seixal, atrás da Câmara Municipal, que Boa Vista deu uma resposta clara: a sua candidatura vai vencer as eleições presidenciais de 17 de outubro.

Na sua comunicação, alertou à «boa moldura humana presente» no comício sobre a importância das próximas eleições, em que, segundo advertiu, todos estão interpelados a fazerem uma escolha certa de quem vai ser o novo chefe de Estado de Cabo Verde. Numa espécie de «olhos nos olhos», Neves pediu voto na sua candidatura, que aposta prioritariamente no relançamento económico e social do país na fase pós-pandemia de covid-19.

Neste particular, fundamentou a sua luta contra a crise pandémica que considera ser “o nosso maior adversário», com a economia “em recessão” e o desemprego a disparar, “ultrapassando largamente os 20%.

Conforme fontes deste jornal, José Maria Neves lembrou que a ilha da Boa Vista, extremamente dependente do turismo, é das mais afetadas pela crise. Por isso, prometeu, caso for eleito PR, trabalhar arduamente com o Governo, com a autarquia local e com a sociedade civil num grande “djunta mon”, com “muita inteligência e paixão”, na busca das melhores soluções para vencer esta crise.

Equilíbrio e perfil para novo PR

Mais uma vez, Neves alertou que "precisamos do equilíbrio para defendermos as liberdades, a democracia e o Estado de Direito e de um Presidente, árbitro imparcial, que une, que protege, que cuida de Cabo verde. Mas, conforme defendeu, precisamos também de um Presidente capaz de fiscalizar a ação governativa e apaziguar dos conflitos existentes na sociedade cabo-verdiana”.

À tarde desta sexta-feira, antes do comício de Sal Rei, a onda do "Djunta Mon, Kabesa y Korason» realizou uma carreata, que percorreu as povoações de norte da Boa Vista - Bufareira, João Galego, Fundo das Figueiras e Cabeça dos Tarafes.

JMN e sua equipa regressam, este sábado à Praia para, de entre outras ações de campanha, animarem, no início da noite, um comício no bairro de Achadinha.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project