CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Boavistenses dão último adeus à cantora cabo-verdiana Celina Pereira 17 Janeiro 2021

Os boavistenses e amantes da música cabo-verdiana deram, este sábado, 16, o último adeus à cantora Celina Pereira, numa homenagem em sessão extraordinária da Assembleia Municipal, seguindo-se de um cortejo musical até à praia de diante onde, na baía de Sal Rei, se lançou as cinzas da malograda.

Boavistenses dão último adeus à cantora cabo-verdiana Celina Pereira

De acordo com as notícias da Inforpress, dezenas de pessoas fizeram-se presentes este sábado, 16, no Centro de Arte e Cultura (CAC) para testemunhar a homenagem à cantora boavistense, Celina Pereira, que a 17 de Dezembro de 2020 faleceu vítima de doença prolongada, em Lisboa, Portugal, onde residia.

O presidente da Câmara Municipal da Boa Vista, Cláudio Mendonça, mostrou que “o ato é de elevado significado simbólico, sobretudo porque se homenageou uma filha da ilha que deu um contributo de elevado valor para a cultura da Boa Vista e de Cabo Verde”, realçando o seu “protagonismo” para o reconhecimento da morna como Património Imaterial da Humanidade, que tanto engrandece o país, conforme a mesma fonte.

“Boa Vista e Cabo Verde muito devem a esta ilustre entidade, sendo hoje, dia da grande figura Celina Pereira. Prestamos assim, uma profunda homenagem à memória e ao rico legado que deixou, sobretudo à valorizada juventude cabo-verdiana”, masnifestou o edil, enaltecendo os cantares, as histórias e a entusiástica vivência que prestou ao orgulho de ser cabo-verdiano.

Ainda, segundo a Inforpress, para o autarca, dever-se-á repetir esta homenagem com outras iniciativas, para valorizar a riqueza cultural da ilha das dunas nos domínios da música, indústria criativa, artes plásticas e da afirmação da identidade social, cultural e política do país”, concretizando também, que se deve preservar, como património de Cabo Verde ,as histórias ancestrais de ninar as crianças, que tão bem “soube preservar e que constam do seu acervo cultural”.

Opiniões de outras individualidades

À família da artista musical, Celina Pereira, Cláudio Mendonça manifestou também, o sentimento de profundo reconhecimento pela presença no ato, e assegurou que espera continuar a contar com a colaboração dos parentes para o aprofundamento do conhecimento que Celina deu para o desenvolvimento cultural da ilha e de todo o País.

Para o Presidente da Associação de Músicos da Ilha da Boa Vista (AMBV), Manuel Brito, a sessão extraordinária da Assembleia Municipal é justificada pela importância que se atribui à personalidade, que atinge o estatuto de figuras públicas ao longo da sua existência. Deste modo, é da opinião ue a malograda, Celina Pereira não está isenta desta classificação, enquanto “artista multifacetada”, destacando as suas qualidades como musica e interprete, impulsionadora da cultura e defensora da identidade cultural cabo-verdiana, assim cita a Inforpress.

“Celina Pereira conseguiu com a sua mestria e versatilidade cativar grandes e pequenos, pelas suas criações e intervenções”, disse, frisando que a Associação, enquanto representante de músicos, não poderia deixar de abraçar a causa, em comparecer para contribuir para o “brilho” no acto apesar do sentimento que acarreta.

Manuel Brito parabenizou o presidente da Assembleia Municipal, Walter Évora, pela ideia que teve em homenagear a conterrânea da ilha, que, para ele, soube durante o seu percurso de vida artística de vida, erguer a bandeira da Boa Vista e de Cabo Verde, através da sua notável sensibilidade cultural, capacidade de interpretação e a sua voz peculiar, cantando a morna “Boa Vista nha terra” que foi sempre o seu cartão de visita como tema presente nas suas mais diversas actuações pelo mundo fora”, escreve a nossa fonte.

A Inforpress diz ainda que o porta-voz dos músicos da Boa Vista não se esqueceu da iniciativa da Câmara Municipal, ao acatar a ideia desta consagração para a “ilustre” filha desta terra, e ao ministro da Cultura, Abraão Vicente, dirigindo o apreço pela elevação do ato com a sua presença, pelo que, indicou, o que consta bem claro, a grandiosidade que Celina Pereira deixou e que deverá ser aproveitado da melhor forma possível pela geração atual e as vindouras, a bem da cultura cabo-verdiana.

Aos familiares e amigos, o Presidente da AMBV endereçou palavras de conforto pela irreparável perda de uma ente querida, e estima pela feliz ideia e iniciativa de homenagear o ícone da cultura”, augurando que “a sua alma tenha o repouso merecido, e que o seu corpo nunca deixará de fazer parte integrante desta ilha, com a deposição dos seus restos mortais em cinzas na baía de Sal Rei, terra que a viu nascer”, escreve a nossa fonte.

Mensagens de familiares

Marina Pereira, em representação da família da homenageada, leu a biografia da embaixadora da cultura cabo-verdiana, reiterando a sua forma “muito peculiar” de interpretar a morna, hoje, Património Mundial da Humanidade, cujo processo teve nela uma das principais impulsionadoras, quando em 2012, enviou ao Governo uma petição propondo a elevação deste género musical, primeiro a Património Imaterial Nacional, e depois, a Património Imaterial da Humanidade, diz a fonte, que o Asemanaonline vem citando.

Marina Pereira, que é prima de Celina Pereira, enfatizou o orgulho que sente pela personalidade, e em nome da família agradeceu a todos os que se associaram à homenagem, aos presentes, aos que seguiram o aco de longe, à Associação dos Músicos da Boa Vista, à Câmara Municipal e Assembleia Municipal da ilha da Boa Vista, e ao Ministro da Cultura referindo-se a “amabilidade e disponibilidade” do governante para trazer as cinzas da querida Celina Pereira de volta à terra que a viu nascer.

Conforme a Inforpress, a parente endereçou ainda, um especial agradecimento à Lara Camareiro, sobrinha de coração e à sua mãe, por todo o carinho que dedicaram à cantora sobretudo, na última fase da sua vida.

Já os representantes das bancadas municipais do MpD, Elisabete Évora, do PAICV, Risete Évora, e do Partido Popular, Sérgio Corrá, centraram os seus discursos na biografia de Celina Pereira, considerando-a como uma das mais importantes referências culturais, exaltando o seu legado, que ficará eternamente na memória de todos os amantes da música cabo-verdiana.

À família de Celina pereira, a equipa do Asemanaonline continua a endereçar as mais sentidas condolências e continua, como sempre, a valorizar todos os artistas musicais, quer no País, quer na Diáspora.

A homenagem à cantora boa-vistense Celina Pereira, que a 17 de Dezembro de 2020 faleceu vítima de doença prolongada, em Portugal, onde residia, culminou com um momento cultural no restaurante Casa da Sopa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project