LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brasil: Bolsonaro cidadão honorário no Véneto, Itália e denunciado ao tribunal da Haia por crimes contra humanidade 28 Outubro 2021

A histórica cidade de Anguillara Véneta distinguiu Jair Messias Bolsonaro com o título de cidadão honorário, a reconhecer "o acolhimento que os nossos emigrantes têm recebido no Brasil", justificou a edil Alessandra Buoso, eleita do partido de extrema-direita A Liga, de Salvini. O título será atribuído em paralelo com a deslocação de Bolsonaro à Itália para a cimeira do G20 a ter lugar em Roma no próximo fim de semana.

Brasil: Bolsonaro cidadão honorário no Véneto, Itália e denunciado ao tribunal da Haia por crimes contra humanidade

A decisão aprovada pela câmara municipal foi imediatamente criticada, neste momento em que o presidente Bolsonaro é acusado por uma comissão parlamentar de inquérito do Senado brasileiro de ter "deliberadamente exposto" os brasileiros à "contaminação em massa" ao negar a gravidade da pandemia de Covid-19 — que até hoje já matou mais de seiscentas mil pessoas no maior país da Lusofonia.

"Bolsonaro liderou uma política anti-Covid-19 baseada no negacionismo e contra a vacina, que levou a milhares de mortes", denunciou Arturo Lorenzoni, porta-voz da oposição no Conselho Regional de Véneto, região governada pelo partido de Matteo Salvini.

Questionada por telefone pela AFP. agência noticiosa francesa, a autarca de Anguillara Véneta defendeu a sua decisão: "A cidadania honorária foi concedida às pessoas que ele [Bolsonaro] representa, não a ele como pessoa".

Avós de Bolsonaro. Os antepassados do presidente brasileiro deixaram em 1888 aquela região de Itália devastada pela pobreza, Estiveram entre os cerca de mil habitantes de Véneto que emigraram para o Brasil nesse final do século XIX.

Nove crimes no TPI

Entre os "crimes contra a humanidade" a denunciar ao Tribunal Penal Internacional de Haia, o relator da investigação, senador Renan Calheiros, totalizou nove crimes contra o chefe de Estado, que vão de "charlatanismo" a "incitação ao crime"”, passando por "infração a medidas sanitárias preventivas”"e "prevaricação".

Fontes: AFP/ Corriere della Sera/La Stampa/Repubblica.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project