LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brasil: Deputada Zambelli de arma em punho a perseguir opositor no dia 29-10 tem intimação do STF, perde licença e tem de entregar pistola — Fugitiva? Incontactável desde 30-10 22 Dezembro 2022

Na véspera da segunda-volta (’2º turno’) entre Lula e Bolsonaro, um vídeo viralizou: a deputada Carla Zambelli, do PL-Partido Liberal persegue um homem pelo centro da cidade de São Paulo e alcançando-o num shopping apontou-lhe a arma. Esta terça-feira e sete semanas depois, o despacho do ’ministro’ Gilmar Mendes do STF-Supremo Tribunal Federal dá ordem para Carla Zambelli fazer "entrega voluntária" em 48H da pistola por ter perdido a licença de posse de arma. Senão, será alvo de mandado de busca e apreensão da referida pistola.

Brasil: Deputada Zambelli de arma em punho a perseguir opositor no dia 29-10  tem intimação do STF, perde licença e tem de entregar pistola — Fugitiva? Incontactável desde 30-10

O despacho do STF pode vir a ser incumprido porque desde o dia seguinte ao incidente constatou-se que a deputada — que saiu do local sem ninguém tentar detê-la — tinha deixado o país. Alega "compromissos inadiáveis no exterior" e justifica que só não respondeu às convocatórias do STF por ter-lhe sido cortado o acesso às redes sociais (Twitter e Instagram).

Entretanto, o oficial da polícia que lhe servia de guarda-costas foi detido. Dois vídeos no You Tube mostram o que aconteceu. Num deles, a Zambelli acusa militantes petistas: "Me chamaram de fdp, de pro... e para eu tomar no c...".

Prossegue: "Eles usaram um negro para vir em cima de mim", quando "estava saindo do restaurante", na Av. Alameda, perto do local "onde Lula tinha um comício".

"Gente, houve vários crimes", diz num vídeo. Narra ainda que "estava à espera da polícia" para registar a ocorrência, quando "o homem tentou fugir". "E e foi aí que eu fui atrás dele".

Pessoas atropelam-se, gritam "É a Zambelli" enquanto a deputada de pistola na mão corre atrás do homem que grita "Socorro" enquanto atravessam a avenida.

Quase dois meses depois, é anunciada a decisão do magistrado para que a arma seja entregue à Polícia Federal em Brasília ou em São Paulo. "Concedo o prazo de 48 horas para que a investigada Carla Zambelli Salgado de Oliveira proceda à entrega voluntária do armamento e munições (pistola, marca Taurus Armas S.A., modelo G3C, calibre 9 MM., e das respectivas [sic] munições) junto à Superintendência da Polícia Federal do Distrito Federal ou de São Paulo", destaca o ‘ministro’ [juiz-conselheiro] Gilmar Mendes no despacho.

Dos extremos e das "fake news"

A deputada federal Carla Zambelli, de 42 anos, eleita por São Paulo em 2018 (pelo PSL) e depois este ano (pelo PL-Partido Liberal), tem um percurso político entre extremos, do feminismo radical às posições ultraconservadoras e de defesa da extrema-direita no Brasil.

Destacou-se por aderir ao movimento Femen — como fundadora e porta-voz da filial brasileira do grupo antissexista nascido na Ucrânia e que usa o "nudismo político" — e, no outro extremo, como militante da extrema-direita brasileira.

Em 2010 tornara-se co-fundadora do movimento Nas Ruas, muito ativo contra os petistas e um dos carros-chefe do impeachment da presidente Dilma.

A Zambelli está no grupo dos sete apoiantes de Jair Bolsonaro acusados de disseminar "fake news". Recorde-se que a atuação da Justiça levou Bolsonaro a pedir à Procuradoria-Geral da República para travar a investigação (Brasil: PGR pede à STF para suspender inquérito de ’fake news’ que visa bolsonaristas — "Ordens absurdas não se cumprem", diz presidente, 28.mai.020).

Fontes: Globo/Recorde/STB/YouTube. Fotos: A deputada federal Carla Zambelli com Bolsonaro em outubro, pouco antes de dar a volta ao mundo o vídeo dela armada a perseguir um opositor político, no dia 29-10, véspera da segunda-volta (’2º turno’) entre Lula e Bolsonaro.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project