LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brasil: Primeira baixa no governo de Bolsonaro com exoneração de Bebianno 20 Fevereiro 2019

O ministro Gustavo Bebianno foi demitido do cargo de Secretário-Geral da Presidência. "O motivo é de foro íntimo do nosso presidente”, diz porta-voz Otávio Rêgo Barros, na conferência de imprensa. Seguiu-se nesta terça-feira, 19, o agradecimento elogioso que Bolsonaro faz ao ministro demitido.

Brasil: Primeira baixa no governo de Bolsonaro com exoneração de  Bebianno

O anúncio da demissão nesta segunda-feira, pelo porta-voz do Palácio do Planalto, foi seguido de uma gravação vídeo em que o presidente Bolsonaro agradece com elogios o trabalho do seu ex-ministro, diz acreditar na sua seriedade, apesar de ter na última quarta-feira, 13, endossado as publicações audio e por Twitter que o filho Carlos fez sobre “as mentiras” de Bebianno.

Carlos Bolsonaro, 35 anos, vereador do Rio de Janeiro eleito pelo PSL e secundogénito do presidente do Brasil, fez, no dia 13, uma publicação no Twitter a desmentir Bebianno que afirmara ter falado com o presidente sobre a revelação do esquema de ’candidaturas laranjas’ do PSL.

“Ontem estive 24h do dia ao lado do meu pai e afirmo ‘É uma mentira absoluta de Gustavo Bebbiano (sic) que ontem teria falado 3 vezes com Jair Bolsonaro para tratar do assunto citado pelo Globo’ (…)”.

Horas depois, publicou um ‘audio’ de segundos em que se ouve Bolsonaro, no hospital, a recusar discutir o assunto com Bebianno, pois ‘falar, só o estritamente necessário’. A condição clínica do presidente exige cuidados especiais, durante o tempo necessário para a reposição da flora intenstinal, previsivelmente dois meses: "Por mais que se tenha cuidado em lavar as mãos e usar máscaras, ele teve contacto com bactérias hospitalares que passam a fazer parte da flora da pele e do intestino dele", segundo o Correio Brasiliense, citando Diego Adão Fanti Silva, cirurgião do aparelho digestivo da Unifesp.

Especialistas em política, citados em vários dos órgãos referidos, entendem que foi para evitar um eventual ataque de Bebianno que Bolsonaro gravou um vídeo apaziguador em que conclui: "Avalio que pode ter havido incompreensões e questões mal entendidas de parte a parte, não sendo adequado prejulgamentos de qualquer natureza", completa Bolsonaro que deseja a Bebianno "sucesso em sua nova jornada".

Candidaturas ‘laranjas’ são fantasmas

No dia 13, o jornal ‘Folha de S. Paulo’ noticiou que Bebianno, enquanto presidente do PSL-Partido Social Liberal, de Jair Bolsonaro, tinha, três dias antes das eleições, atribuído 400 mil reais (c. 12 milhões CVE) a uma candidata a deputada federal em Pernambuco, que no final teve apenas 274 votos.

A transação tornou-se suspeita, pois falta comprovar como foi gasta a verba e é de desconfiar, dada a evidência desse número de votos, que "nem sequer se fez qualquer ato de campanha", referem os media referidos.

Fontes referidas. Foto: Sai Bebianno (à esqª) entra Floriano Peixoto (mais à dtª), general e 8º militar da presidência de Jair Bolsonaro (ao centro)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project