LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brasil país dos Silvas "muitos sem pai, mas a maioria honestos e éticos", diz vereador Tiago 25 Junho 2020

É também "o país da morosidade da Justiça" segundo exprime Tiago Silva, o vereador de Florianópolis durante três mandatos. Silva pela mãe, empregada doméstica, cresceu sem saber quem era o pai. Mas no dia em que soube o seu nome, Jorge Mussi, quis conhecê-lo. O ’ministro’ do STJ-Superior Tribunal de Justiça durante mais de 30 anos usou esse ’handicap" do sistema de justiça para, como denuncia o filho, negar a paternidade da criança nascida tinha o já juiz Mussi 34 anos e a empregada 17.

Brasil país dos Silvas

O currículo profissional de Tiago Silva expõe as suas imensas conquistas: de menino pobre, que ia levar a roupa lavada pela avó às casas das famílias mais abastadas, chegou a diretor de uma empresa e vereador de Florianópolis, capital do Estado de Santa Catarina.

A biografia pessoalíssima só este mês passou a ser conhecida, porque Tiago a publicou no Facebook. Foi a arriscada decisão que tomou, aos 37 anos, na manhã seguinte a uma noite insone. Uma última homenagem a dona Regina Silva, para romper o silêncio sobre mais de trinta anos.

O "negro favelado", como é descrito Tiago, foi para as redes sociais publicar um relato sobre como conseguiu na Justiça o reconhecimento de que o ministro do STJ Jorge Mussi é seu pai.

A sua narrativa começa assim:

Não recebi o convite

É com essa frase que tenho respondido às pessoas que me parabenizam pela nomeação do meu pai à vice-presidência do Superior Tribunal de Justiça. Não recebi o convite para a posse.

Fiquei sabendo da sua nomeação como todos os outros, pela imprensa. Nem todos sabem, mas sou filho do Ministro do STJ e ex Desembargador, Jorge Mussi. Nunca falei publicamente sobre isso. Mas recentemente, após uma longa batalha na justiça, tive o direito a paternidade reconhecida.

Fruto de uma relação do filho da patroa com a empregada, não tive o nome do pai no meu registro. Não tive sua presença, seu carinho, seu apoio, da infância a vida adulta. Isso nunca me impediu de trilhar o meu caminho e conquistar minhas vitórias. Lutei duras batalhas.

Contra a desigualdade, o preconceito, a falta de oportunidades. A pobreza.

O meu pai trilhou o seu também, formado em direito pela Universidade Federal de Santa Catarina e de família influente ingressou na magistratura como desembargador.

Em dezembro de 2007, foi nomeado ao cargo de ministro do STJ e foi membro do Tribunal Superior Eleitoral. Assim como agora não fui convidado para nenhuma de suas posses.

Morosidade da justiça beneficia pai negacionista

Por decisão própria enfrentei, sozinho, uma intensa e turbulenta batalha na justiça. O meu pai, ministro Jorge Mussi, utilizou de toda a sua influência e aproveitando-se da morosidade dos processos judiciais do país para dificultar o reconhecimento de paternidade.

A ponto de arrolar uma testemunha que morava nos Estados Unidos para ser ouvida. O que não impediu que a justiça fosse feita. Venci. Me tornei, nos documentos, Tiago Silva Mussi. Porém, muitas pessoas que acompanharam essa luta me questionam porque não assino usando o Mussi.

Me sinto mais confortável sendo um Silva. Somos um país construído por Silvas. Muitos inclusive, sem pai, mas a maioria honestos e éticos. Fonte referida.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project