AUTÁRQUICAS 2020

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brava: Clóvis Silva pede aos bravenses quatro anos para “humanizar” a gestão do que é público na ilha e romper com filosofia de vamos fazer 20 Setembro 2020

O cabeça de lista do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) para a câmara da Brava pediu aos bravenses, este sábado, quatro anos para “humanizar” a gestão do que é público na ilha e estar ao serviço da população, rompendo com a filosofia da atual Câmara do MpD de «vamos fazer». Já a líder do PAICV, Janira Hopffer Almada, que presidiu ao ato e foi recebida com flores à chegada (ver fotos no roda pé desta peça), sublinhou que o primeiro compromisso que o candidato deve assumir com a ilha é “garantir mais e melhor ligação para a ilha”, considerando a equipa como sendo “comprometida, competente, empenhada que quer desempenhar a sua missão e cumprir o seu compromisso para com a ilha do poeta Eugénio Tavares.

Brava:  Clóvis Silva pede aos bravenses quatro anos para “humanizar” a gestão do que é público na ilha e romper com filosofia de  vamos fazer

Segundo a Inforpress, Clóvis Silva, também deputado nacional, que discursava no acto público de apresentação dos cabeças de lista do PAICV para as autárquicas do dia 25 de Outubro, garantiu aos bravenses que os projetos que a sua equipa possui para a ilha são “concretos” e para realizar em quatro anos.

Além disso, comprometeu-se a fazer uma gestão pública “transparente”, avançando que a equipa está disposta a assumir e a aceitar todas as críticas que vão surgir, porque, conforme explicou, na plataforma vão incluir de forma concreta o que vão fazer.

“Não vamos ficar na filosofia de vamos fazer, vamos procurar, vamos incentivar …porque o vamos já não está a funcionar na ilha”, disse o candidato.

Segundo o mesmo, é preciso deixar claro o que será feito em cada zona, acrescentando que terão uma “atitude clara e determinada” com a situação da saúde na ilha, porque, advogou, “como está não pode continuar”.

A equipa, conforme avançou, é constituída na maioria por pessoas que não são militantes do PAICV mas que acreditaram no projecto, com o objectivo de “combater todos os desafios que a ilha possui e trazer a transformação que ela merece”.

Ser presidente de câmara, para Clóvis Silva “é uma missão, não é um emprego para ninguém, mas sim para comprometer com as pessoas e cumprir as promessas”, e, realçou que a sua equipa vai “correr atrás” do primeiro ao último dia do mandato com o intuito de “transformar Brava numa ilha que produz”.

Conforme ainda a Inforpress, a presidente do PAICV, Janira Hopffer Almada, que esteve presente no acto, sublinhou que o primeiro compromisso que o candidato deve assumir com a ilha é “garantir mais e melhor ligação para a ilha”, considerando a equipa como sendo “comprometida, competente, empenhada que quer desempenhar a sua missão e cumprir o seu compromisso para com a ilha.

Também discursou no ato a candidata à presidente da Assembleia Municipal, Margarida Fernandes, que disse ter aceitado o desafio porque desde sempre se sentiu comprometida com a Brava e quer dar o seu contributo, lutando para a “igualdade e oportunidade” para todos.

Para além de Clóvis Silva (PAICV), concorre ao cargo de presidente da câmara da Brava no escrutínio do dia 25 de Outubro, Francisco Tavares (MpD).

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project