CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brava: Comunidade Adventista alerta para a necessidade de “quebrar o silêncio diante do abuso do poder” 28 Agosto 2022

A comunidade da Igreja Adventista na ilha Brava alertou hoje para a necessidade de “quebrar o silêncio diante do abuso do poder” como forma de ter uma sociedade “mais justa” e mais próxima daquilo que Deus quer.

Brava: Comunidade Adventista alerta para a necessidade de “quebrar o silêncio diante do abuso do poder”

Este alerta foi feito em declarações à Inforpress pela directora Distrital do Ministério da Mulher da Igreja Adventista na Brava, Ana Miranda, explicando que esta programação sob o lema “quebrando o silêncio” está a decorrer a nível mundial e, na Brava, as actividades iniciaram-se esta sexta-feira, 26, e terminam no domingo, 28.

Segundo a mesma fonte têm deparado que muitas pessoas sofrem diversos tipos de violência, embora, reforçou que o grupo das mulheres, crianças e idosos são os mais vulneráveis e as que mais sofrem com situações de violência.

Daí que esta sexta-feira iniciaram a programação para falar sobre o abuso do poder, alertando que não é somente a violência sexual, mas que há também outros tipos de violência que estão relacionados com o abuso do poder em diferentes áreas, exemplificando com pessoas que usam os seus cargos para prejudicarem os outros.

Sendo assim, destacou que no pôr-do-sol e na vigília que realizaram sexta-feira, debruçaram-se sobre este assunto, mas também falaram sobre alguns materiais que são indispensáveis para algumas tarefas, mas que não devem ser utilizadas para outros fins, pois geram conflitos e problemas, tais como facas, punhais, entre outros objectos.

“No culto de hoje fizemos algumas actividades e reflexões sobre o abuso do poder e a importância de denunciar estas situações, mas também há uma palestra voltada para este tema como forma de colocar a sociedade, em geral, a reflectir sobre como esta situação está transformando o mundo em algo diferente daquilo que Deus planejou”, disse a responsável.

“Deus nos criou livres para decidirmos o que é certo e o que é errado e o caminho a seguir, mas não para deixarmos outras pessoas nos machucar porque a Bíblia diz que o nosso corpo é Templo do Espírito Santo”, relembrou, alertando que, para aqueles que estão a “abusar dos outros”, independentemente de que forma seja, está a “abusar de Deus também” e aos que sofrem abuso que procurem ajuda e coloquem um ponto final neste silêncio.

“Não fiquem em casa, no trabalho, ou onde quer que seja a sofrer abusos, injúrias e humilhações, mas procurem apoio e, principalmente, recorram à Deus porque somente ele possui o poder de libertar mesmo, dando força às pessoas nestas situações”, apelou, realçando que na Igreja Adventista sempre fazem correntes de oração para pedir a Deus que liberte estas pessoas.

Para finalizar pediu aos bravenses que sejam “mais solidários” uns com os outros, pois ,conforme realçou, muitas vezes, pelo facto de alguns não sofrerem violência fecham os olhos para alguns casos que passam ao seu redor, mas “sabemos que na Brava há muitas pessoas que sofrem violência”. A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project