DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brittney Griner: "Continuo sem perceber como essa canábis apareceu no meu saco" 28 Julho 2022

A basquetebolista norte-americana Brittney Griner disse esta quinta-feira durante o seu julgamento num tribunal de Moscovo que levou canábis medicinal para a Rússia por erro e que nunca teve intenção de contrabandear droga.

Brittney Griner:

"Não tive a ideia nem a previsão de estar a introduzir substâncias interditas na Rússia", disse Griner no tribunal de Khimki, Moscovo, onde está a ser julgada desde o início deste mês.

Griner, de 31 anos e 2,06 metros de altura, é considerada uma das melhores jogadoras do mundo e alinha pelo Ekaterinburgo, no período de inter-época da liga norte-americana.

Está a ser julgada na sequência da detenção, em fevereiro, no aeroporto de Moscovo, por estar na posse de cigarros eletrónicos à base de canábis, alegadamente receitados pelo seu médico. Pela lei russa, arrisca-se a 10 anos de prisão.

O processo surge no momento de fortes tensões entre Moscovo e Washington, centradas no conflito militar na Ucrânia. Segundo analistas, a Rússia poderá estar a usar este caso para uma futura troca de prisioneiros com os Estados Unidos.

A jogadora, que é bicampeã olímpica, disse no tribunal que utiliza a canábis medicinal de forma legal nos Estados Unidos, com prescrição, durante os dias de folga, para aliviar as múltiplas dores físicas ligadas à prática intensiva de basquetebol.

Reiterou que não fez de propósito para levar a canábis com ela, de regresso à Rússia.

"Continuo sem perceber como apareceu no meu saco. Não tinha intenção de infringir a lei russa [...] e se tiver de avançar uma explicação para a forma como foi parar ao meu saco, diria que foi por estar apressada a arrumar as minhas coisas", disse Griner.

Brittney Griner disse ainda não ter seguido as recomendações das autoridades norte-americanas, de não viajar para a Rússia neste período, porque "não queria deixar cair" a sua equipa naquele país.

Trocas EUA-Rússia

A Rússia e os Estados Unidos estão em negociações para a troca de prisioneiros.

O acordo pode incluir a troca da atleta pelo conhecido traficante de armas russo Viktor Bout, que foi preso na Tailândia em 2008 e cumpre pena de 25 anos de prisão nos Estados Unidos. Apelidado de "Mercador da Morte", ele inspirou o filme O Senhor da Guerra, em que Nicolas Cage faz de traficante de armas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project