DIÁSPORA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

CCCV comemora “Dia da Morna” em Lisboa, com atuação do músico Jorge Humberto 23 Novembro 2021

Por ocasião do "Dia da Morna", que Cabo Verde assinala a 03 de dezembro, dia do nascimento de Francisco Xavier da Cruz , mais conhecido por B.leza, o Centro Cultural de Cabo Verde (CCCV), em Lisboa, comemora esta data com a apresentação do músico cabo-verdiano Jorge Humberto, que interpretará mornas de sua autoria, num concerto intimista, no qual será acompanhado ao piano, por Humberto Ramos.

CCCV comemora “Dia da Morna” em Lisboa, com atuação do músico Jorge Humberto

O concerto "As Mornas de Jorge Humberto" desvenda uma faceta do artista que muitos cabo-verdianos desconhecem ou não associam imediatamente, a Jorge Humberto, a sua faceta de "mornista", ele que é autor de inúmeras Mornas, algumas cantadas por vozes ilustres, como Tito Paris.

Esta data, que é celebrada pela consagração da Morna como Património Cultural Imaterial da Humanidade, foi instituída em 2018, com o objetivo de homenagear todos os outros compositores, músicos e intérpretes cabo-verdianos, exaltar e reconhecer a sua importância e chamar atenção da Sociedade Cabo-verdiana para a necessidade de valorização do género musical.

Percurso do artista Jorge Humberto

Jorge Humberto nasceu na Ilha de São Vicente, Cabo Verde, no dia 26 de dezembro do 1959 e o seu gosto pela música começou muito cedo, quando ainda estudava na escola Salesiana, no Mindelo onde, na altura, eram administradas, para além de outras matérias, introduções ao cântico e à música. A sua faceta de autor e compositor surge depois da Independência de Cabo Verde, quando começa a interessar-se por compor ele próprio, as suas músicas.

Os seus três primeiros álbuns - "Guentá", "Um Môiobe um Consôlá" e "Porto Experimental" - são gravados em Lisboa a partir do ano de 1992. Mais tarde, no ano de 2004, em Paris, Jorge Humberto viria a gravar com a Morabeza Record’s o álbum "Identidade". No ano de 2009, em São Vicente, Cabo Verde, grava o álbum "Ar de Nha Terra", com a editora Harmonia.

Segue-se o seu sexto álbum, a que deu o nome de "Arpur", gravado em Paris, no ano de 2013 com a editora Chris Music. O seu mais recente álbum, o sétimo da sua carreira, tem o nome de "Nôv’Astral", foi produzido e editado por ele próprio, tendo sido parcialmente gravado em Cabo Verde e em Portugal, no ano de 2016. As canções de Jorge Humberto, compositor e cantor, já foram interpretadas por diversos outros nomes do universo musical cabo-verdiano, nomeadamente Biús, Fantcha, Ana Firmino, Maria Alice, Mariana Ramos, Tito Paris, Dudu Araújo, Rosa Mestre, Ney Machado, Calu Bana, Filinto Barros, Lutchinha Andrade, Tibô Évora, mas também pelo cantor Córsega Charles Marcelesi.

Jorge Humberto é também, autor da canção infantil "Cabo Verde das Crianças", que se encontra incluída no livro "As músicas que fizeram história em Cabo Verde", interpretada na altura pela pequena cantora "Ondina Santos". Trata-se de uma música muito cantada pelas crianças em Cabo Verde ao longo de muitos anos no "Dia Internacional da Criança", e que também, viria a dar nome ao primeiro disco infantil cabo-verdiano. Este artista já foi, por duas vezes, condecorado pelo Governo de Cabo Verde, como reconhecimento pelo seu contributo no desenvolvimento e divulgação da cultura caboverdiana. Encontra-se presentemente a gravar, em Lisboa, o seu novo disco, que será denominado "Ôj’emdia", que está previsto sair antes do fim do presente ano de 2021.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project