DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

CCS defende análise da lei por forma a fazer com que as empresas contribuam para o desenvolvimento do desporto 29 Novembro 2022

O vice-presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (CCS) defendeu hoje uma análise à Lei do Mecenato Desportivo para se ver o que precisa ser melhorado e garantir que as empresas possam contribuir para o desenvolvimento do desporto.

CCS defende análise da lei por forma a fazer com que as empresas contribuam para o desenvolvimento do desporto

Nuno Pires discursava esta manhã na abertura de um workshop sobre incentivos fiscais e marketing esportivo, realizado pelo IDJ em parceria com as câmaras de comércio de Sotavento e Barlavento.

“Cabo Verde já atingiu um patamar, não aquilo que gostaríamos, mas bastante satisfatório no que diz respeito ao desenvolvimento do desporto. Para quem segue o fenómeno desportivo em Cabo Verde, nós nem sequer sonhávamos em participar das competições internacionais, mas hoje já temos algumas participações”, disse.

Este responsável deu exemplo de modalidades colectivas como o futebol, relembrando que Cabo Verde já participou de uma Copa de África das Nações (CAN) e andebol, tanto masculino como feminino, em que no masculino o país já esteve no campeonato do mundo.

“Essas situações não se compadecem com o amadorismo ou com o voluntarismo com que nós fazemos as coisas. Temos que nos organizar, planificar e daí que o aspecto financeiro, nós sabemos que estas participações custam, é essencial”, defendeu.

Conforme Nuno Pires disse ainda que hoje as equipas precisam de se preparar, contratar bons técnicos, formar bons atletas, bem como fazer intercâmbio e jogos particulares com as suas congéneres, mas que para isso “não basta ter vontade”, uma vez que tudo tem o seu custo.

“Nós sabemos que existe uma Lei do Mecenato, mas que, na prática, as empresas pouco têm feito para ajudar os clubes e as federações porque também nós sabemos que a situação neste momento não é a melhor”, continuou.

Prosseguindo, Nuno Pires disse achar que o presente workshop “veio numa boa hora” para se ver os aspectos da lei que precisam ser melhorados, no sentido de a mesmo poder cumprir o objectivo que é fazer com que as empresas dêem o seu contributo para o desenvolvimento do desporto.

“Que este fórum sirva para trazer luzes e ideias novas sobre o financiamento do desporto”, concluiu.

A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project