Presidenciais 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde: Carlos Veiga acredita na eleição à primeira volta 28 Setembro 2021

O candidato a presidente de Cabo Verde Carlos Veiga disse acreditar na sua eleição já na primeira volta, enfatizando que pretende passar uma mensagem de confiança na campanha eleitoral que arranca esta semana.

Cabo Verde: Carlos Veiga acredita na eleição à primeira volta

"Até agora estamos satisfeitos. Eu estou convencido de que tenho todas as condições para ganhar estas eleições", afirmou à agência Lusa Carlos Veiga, antigo primeiro-ministro e candidato às eleições presidenciais de Cabo Verde em 17 de outubro (primeira volta).

"Eu penso que é possível ganhar à primeira volta, mas esse é um pensamento, apenas. Não quer dizer que isso tenha de ser assim. Nós estamos preparados para todas as eventualidades e, portanto, não é um problema que nos preocupa. Neste momento estamos a trabalhar para termos o máximo possível de votos. É assim que se ganha as eleições e vamos a ver o que vai acontecer", acrescentou.

A dois dias do arranque da campanha eleitoral, Carlos Veiga promete que a mensagem a passar aos eleitores será de "confiança".

"As pessoas têm de confiar em Cabo Verde, mas é também uma mensagem de união. Cabo Verde será aquilo que nós quisermos. Quisermos todos juntos, unidos a trabalhar para o progresso, para o bem-estar dos cabo verdianos. Essas eleições presidenciais serão importantes nesse sentido", apontou.

"Se formos capazes de eleger um candidato que possa unir os cabo-verdianos, e eu julgo que estou nessas condições, naturalmente que as coisas irão correr muito melhor. Com mais estabilidade com mais segurança e na direção certa, do que se nós quisermos, de facto, cada um por si, puxamos cada um para seu lado, não iremos avançar", enfatizou.

Carlos Veiga ’Kalu’ - alcunha do jurista e adotada pela sua campanha -, 71 anos, foi o primeiro primeiro-ministro escolhido em eleições livres em Cabo Verde (1991 a 2000) e anunciou em março a sua terceira candidatura presidencial (depois de falhar a eleição em 2001 e 2006), com o apoio do Movimento para a Democracia (MpD, no poder e que liderou) e da União Cabo-verdiana Democrática e Independente (UCID, oposição, representada no parlamento).

Sobre a campanha que se aproxima, a terceira no país no espaço de um ano e novamente condicionada pelas regras de proteção sanitária devido à pandemia de covid-19, Carlos Veiga afirma que será "de contacto com os eleitores", e "por todas as vias".

"Pelas redes sociais, com encontros porta a porta, e se for possível obviamente com alguns comícios, desde que sejam adotadas e seja possível cumprir todas as exigências que os serviços de saúde fazem para que esse tipo de ajuntamentos aconteça", concluiu.

Cabo Verde realiza eleições presidenciais em 17 de outubro de 2021, às quais já não concorre Jorge Carlos Fonseca, que cumpre o segundo e último mandato como Presidente da República.

O Tribunal Constitucional anunciou em 24 de agosto que admitiu as candidaturas a estas eleições de José Maria Pereira Neves, Carlos Veiga, Fernando Rocha Delgado, Gilson Alves, Hélio Sanches, Joaquim Jaime Monteiro e Casimiro de Pina.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project