SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde cria fundo de 352 mil euros para apoiar jovens empresários 24 Agosto 2021

Cabo Verde criou um fundo de 352 mil euros para apoiar os jovens empresários, sobretudo as mulheres, que atuam em setores como as economias azul e verde e a inovação e criatividade, disse hoje fonte oficial.

Cabo Verde cria fundo de 352 mil euros para apoiar jovens empresários

Denominado de Fundo Lavanta, segundo escreve Lusa, o mecanismo de financiamento resulta de uma parceria entre o Governo de Cabo Verde e as Nações Unidas e destina-se aos jovens empreendedores dos 18 aos 35 anos, ou mulheres, igualmente empreendedoras, sem qualquer limite de idade.

O montante mínimo de financiamento será de 150 mil escudos cabo-verdianos (1.360 euros) e o máximo de 1,5 milhões de escudos (13,6 mil euros).
Conforme adianta a mesma fonte, o programa terá um âmbito nacional, sendo aceites candidaturas de todas as ilhas e concelhos do território nacional, que estão abertas desde segunda-feira e prolongam-se até 13 de setembro próximo.

"São cerca de 300 mil dólares americanos que o PNUD coloca à disposição de Cabo Verde, a fundo perdido, e que vamos criar um fundo de conta garantia por forma a permitir-nos que tenhamos um volume de financiamento à volta de um milhão de dólares para apoiar esses micro e pequenos empresários que se encontram hoje numa situação mais difícil em termos de acesso a financiamento e que querem reerguer o seu negócio com criatividade", descreveu o vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia.

"Com mais este mecanismo, estamos a criar as condições para que mais pessoas tenham acesso a financiamento com taxas de juros mais baixas, máxima 5,5%, podendo pagar em seis anos, com seis meses de carência", prosseguiu.

Segundo o número dois do Governo, o fundo de financiamento vem reforçar as condições para que o país possa continuar a intervir e a apoiar os micro, pequenos e médios empresários, sobretudo jovens e mulheres em todas as ilhas de Cabo Verde.

"Deste modo, estaremos a proporcionar aqui um sistema que é bom, que é facilitador, mas também que se enquadra dentro daquilo que é o ecossistema já montando", salientou Olavo Correia.

Neste momento, o vice-primeiro-ministro disse que o país conta com cerca de 17 milhões de dólares (14,4 milhões de euros) que estão a funcionar como garantia para apoiar as empresas e o Governo quer mobilizar mais fundos para o efeito, cita Lusa.

"E este montante vai acrescentar valor ao fundo já constituído", afirmou, garantindo que o Governo "vai fazer de tudo" para que o acesso seja desburocratizado, facilitado, em tempo certo e não haja muito mais burocracia na tramitação para aqueles que precisam.

De acordo com o ministro, o Governo está a trabalhar com os parceiros bilaterais e multilaterais para aumentar ainda mais o fundo, que está na Pró-Garante e que serve como garantia para os micro, pequenos e médios empresários que têm dificuldade.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project