NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde de luto: Morreu Corentino Santos, 1º Governador do Banco Central e integrante do governo de transição para independência nacional 29 Maio 2022

Cabo Verde está de luto, ao perder um dos seus ilustres filhos. Trata-se daquele que foi o primeiro governador do Banco de Cabo Verde e representante do nosso pais junto da Missão das Nações Unidas nos EUA, Corentino Santos, que faleceu, este domingo, 29, vítima de doença prolongada nos EUA, onde se encontrava em tratamento. Corenta, como era também conhecido entre amigos, integrou, na qualidade de Secretário-adjunto das Finanças do Governo de Transição, a equipa que iria negociar o processo colonial de transição, do qual fazia parte a emissão monetária.

Cabo Verde de luto: Morreu Corentino Santos, 1º Governador do Banco Central e integrante do governo de transição para independência nacional

Corentino Virgílio Santos nasceu, em São Vicente, a 12 de dezembro de 1946. «Conhecido como um Homem de grande integridade moral, o Dr. Corentino Santos licenciou-se em ciências económicas em Portugal. Na qualidade de Secretário-adjunto das Finanças do Governo de Transição, é chamado a integrar a equipa que iria negociar o processo colonial de transição, do qual fazia parte a emissão monetária. Montou depois o que viria a ser o Banco de Cabo Verde, tendo tornando mais tarde o 1º Governador dessa Instituição», comenta o economista Alexandre Fontes, que trabalhou com ele na Embaixada de Cabo Verde nos EUA.

« O Dr. Corentino Santos foi o Grande Artesão e defensor da Independência do Banco Central em relação ao Governo da República, o que constitui um dos maiores ganhos da política monetária e da boa Governação, que faz hoje Cabo Verde ser um país respeitado no mundo», acrescenta a mesma fonte.

Alexandre Fontes lembra que, no final dos anos 80, Santos chefiou a nossa Representação Permanente junto das Nações Unidas em Nova Iorque e se tornou mais tarde no 1º Cabo-verdiano a ocupar um alto cargo junto duma Instituição Internacional, quando foi eleito Administrador do Fundo Monetário Internacional (FMI).

No fim do seu mandato como Administrador em 1994, Corentino Santos foi nomeado Embaixador de Cabo Verde em Washington, função que assumiu até 1998, antes de partir para Angola como Representante do FMI.

«O Dr. Corentino Santos, ou Corenta como era conhecido pelos amigos, era uma pessoa discreta, mais que fazia a unanimidade enquanto a sua competência técnica, a sua integridade moral e rigor no tocante à gestão da coisa pública», destaca Alexandre Fontes.

Enfim, o país perdeu um dos seus ilustres filhos. Morreu o homem, mas fica a sua obra para sempre.

O coletivo do Asemanaonline aproveita para apresentar as suas sentidas condolência à família enlutada.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project