NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde destaca controlo da lepra como "um dos casos de sucesso" no setor da saúde 29 Janeiro 2022

O controlo da lepra foi "um dos casos de sucesso" da saúde em Cabo Verde, com média de 10 casos anuais, e há mais de 25 eliminou a doença enquanto problema de saúde pública, disse hoje fonte oficial.

Cabo Verde destaca controlo da lepra como

"O controlo da lepra foi um dos casos de sucesso de Cabo Verde no setor da saúde", disse o diretor nacional de Saúde, Jorge Noel Barreto, na cidade da Praia, na abertura de um seminário para assinalar o Dia Mundial da Lepra, que acontece no último domingo do mês de janeiro.

Segundo a mesma fonte, que já foi diretor do Programa Nacional de Luta contra a Tuberculose e Lepra (PNLTL), há mais de 25 anos que Cabo Verde eliminou a doença do ponto de vista de saúde pública, tendo menos de um caso por cada 10 mil habitantes.

"Esta situação tem-se mantendo, graças ao desenvolvimento que o país vem alcançando ao longo desses anos", prosseguiu, lembrando que a lepra é uma doença que está ligada à pobreza, e às baixas condições de vida das pessoas.

Apesar do controlo, Jorge Barreto alertou que a doença não está erradicada do país, que regista uma média de 10 casos novos por ano, considerando que há sempre o risco de a situação voltar a agravar-se.

"Se nós não tivermos o cuidado de continuar a identificar os casos que ainda acontecem de forma precoce, para que o tratamento também possa ser iniciado precocemente", prosseguiu Barreto, lembrando que a lepra tem tratamento e cura.

Também disse que se deve continuar a fazer a investigação à volta dos casos diagnosticados, bem como continuar a disponibilização dos medicamentos.

"A luta contra a lepra deve continuar porque é uma doença que pode deixar marcas estigmatizantes", pediu Jorge Barreto, notando que o bacilo que causa a infeção ainda existe no país, pelo que chegar aos zero casos anuais ainda é um grande desafio.

Por isso, apelou à adoção de algumas medidas para reduzir os riscos de infeção, como diminuição da pobreza, evitar uso abusivo do álcool ou ter uma alimentação adequada, bem como o combate à discriminação das pessoas que contraem a doença.

Segundo o diretor nacional de Saúde, a pandemia da covid-19 não afetou as atividades de luta contra a lepra em Cabo Verde, onde são identificados mais casos no concelho da Praia, na Ribeira Grande de Santiago, em São Vicente e em Santo Antão.

Segundo dados do PNLTL, em Cabo Verde, a Lepra ("Hanseníase" ou "Mal de Hansen") - nome pelo qual também é conhecida a doença -, chegou a ter uma prevalência muito elevada, atingindo 1.200 casos por ano nas décadas de 60 e 70 do século XX.

O Dia Mundial dos Leprosos foi instituído pelas Nações Unidas em 1954, a pedido Raoul Follereau, que dedicou a sua vida à promoção do tratamento e cura, reabilitação e reinserção dos doentes com Lepra.

A contaminação pelo bacilo da lepra dá-se por via respiratória, pelas secreções nasais ou pela saliva, e o período de incubação é longo, o que explica o motivo por que a doença se desenvolve mais em indivíduos adultos, embora possa também afetar crianças. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project