ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde e UE lançam prémio científico sobre 15 anos da parceria especial 01 Dezembro 2022

O Governo de Cabo Verde e a União Europeia lançaram um prémio para artigos científicos sobre os 15 anos da parceria especial, onde pretendem distribuir 500 mil escudos (4.500 euros), foi hoje divulgado.

Conforme o edital, o concurso foi lançado pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional cabo-verdiano e pela Delegação da União Europeia em Cabo Verde, em parceria com o Ministério da Educação, no ano em que a parceria especial entre o arquipélago e a União Europeia celebra 15 anos.

As candidaturas devem ser remetidas até 28 de fevereiro de 2023 ao Ministério da Educação de Cabo Verde e podem participar cidadãos nacionais, residentes no país ou na diáspora, e cidadãos dos Estados-membros da UE com residência permanente em Cabo Verde.

No caso destes últimos, podem concorrer desde que estejam matriculados num curso universitário de nível de graduação (licenciatura) nas áreas de Relações Internacionais, Diplomacia, Direito, Economia, ou outras áreas afins, estejam desenvolvendo pesquisa de nível de pós-graduação (mestrado e doutoramento) em qualquer das áreas dos pilares que compõem a parceria.

Podem ainda candidatar-se caso tenham concluído um programa de graduação ou de pós-graduação, entre 25 de novembro de 2020 e 25 de novembro de 2022, em qualquer das áreas dos pilares que compõem a parceria.

Serão premiados os três melhores artigos na categoria Pós-Graduação e na categoria Graduação, em valores que vão desde os 75 mil escudos (680 euros) a 150 mil escudos (1.360 euros), num total de 500 mil escudos (4.500 euros) em prémios.

Com este prémio, as autoridades cabo-verdianas e europeias pretendem “estimular o desenvolvimento da pesquisa e da produção académica, bem como contribuir para o debate e o estudo do conceito da Parceria Especial baseados nos Pilares que a compõem, e não só”.

A UE e Cabo Verde celebraram em 19 de novembro de 2007, após um longo período de negociações, uma Parceria Especial, a única do género no continente africano.

A parceria abrange áreas como a boa governação, segurança e estabilidade, integração regional, convergência técnica e normativa, sociedade da informação e do conhecimento, luta contra a pobreza e desenvolvimento, mas Cabo Verde já manifestou a intenção de introduzir outros pilares.

Na semana passada, num evento, na Praia, alusivo ao 15.º aniversário, a embaixadora da UE em Cabo Verde, Carla Grijó, apontou o apoio do bloco europeu ao arquipélago na pandemia de covid-19 como um dos resultados de sucesso da Parceria Especial.

Por sua vez, o primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse que o país quer mais, esperando contar com reforço dos apoios europeus na segurança cooperativa nos domínios da segurança marítima, da cibersegurança e de crimes transnacionais.

“As nossas especificidades enquanto país da diáspora, pequeno Estado insular em desenvolvimento, inserido na Macaronésia e com uma localização geoestratégica que nos coloca entre o continente africano, a Europa, o Brasil e os Estados Unidos devem ser valorizadas como fatores distintivos nas nossas relações de parceria e de alianças para o deslocamento sustentável, para o investimento, transações económicas e para defesa e segurança”, reforçou o chefe do Governo. A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project