SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde precisa de construir 13.200 casas e recuperar cerca de 26 mil 01 Novembro 2021

Cerca de 26 mil famílias vivem em casas degradadas em Cabo Verde e o défice habitacional ascende a 13.200 casas, revelou, segundo a Lusa, o vice-primeiro-ministro, admitindo a necessidade de investimentos de mais de 1.920 milhões de euros. Mas centenas de «casas para todos» construidas pelo governo de José Maria Neves contunam, conforme os críticos, de portas fechadas em várias ilhas ou vêm sendo dinaficadas por atos de vandalismo por imcopetência do atual governo de Ulisses Correia e Silva em fazer a sua distribuição aos mais necessitados.

Cabo Verde precisa de construir 13.200 casas e recuperar cerca de 26 mil

"Cabo Verde enfrenta ainda graves problemas de habitação que assumem a primeira linha de prioridades deste Governo. Neste momento, no país, cerca de 26.000 agregados familiares pobres vivem em casas degradadas e o défice habitacional é de cerca de 13.200 habitações que representam necessidades imediatas", descreveu Olavo Correia, que é também ministro das Finanças citado pela Lusa.

Os números foram revelados na sequência da realização do "Cabo Verde Fórum Urbano 2021", organizado pelo Ministério da Infraestrutura, Habitação e Ordenamento do Território (MIOTH), em parceria com a ONU Habitat, e que arrancou na sexta-feira, na Praia.

De acordo com Olavo Correia, a construção de novas habitações, a requalificação e reabilitação do parque habitacional existente, a elaboração dos planos urbanísticos e a requalificação e reabilitação de casas de famílias carenciadas "implicam investimentos públicos e privados imediatos de cerca de 63,9 milhões de contos [582 milhões de euros], e de 146,8 milhões de contos [1.340 milhões de euros] até 2030", respetivamente.

"Neste contexto pandémico e pós-pandémico, temos de aproveitar esta oportunidade para podermos fazer deste processo de desenvolvimento mais verde, mais azul, mais digital e particularmente mais inclusivo", defendeu o governante.

Acrescentou que a "gestão sustentável do território é um dos maiores desafios para realizar a Ambição 2030", programa de desenvolvimento a médio prazo preparado pelo Governo cabo-verdiano.

Segundo Olavo Correia, o Governo pretende garantir "a implementação plena e a atualização de todos os instrumentos de gestão do território", bem como das políticas legais neste setor.

"Bem como, assegurando em todo o território nacional a operacionalização do cadastro predial, a atualização da cartografia e da toponímia e a modernização da rede geodésica, altimétrica e da Infraestrutura de Dados Espaciais de Cabo Verde", disse ainda segundo a Lusa.

Casa para todos fechadas e em degradação

Entretanto, para os críticos, centenas de «casas para todos» construidas pelo governo de José Maria Neves continunam de portas fechadas em várias ilhas ou vêm sendo dinificadas por atos de vandalismo por imcopetência do atual governo de Ulisses Correia e Silva em fazer a sua distribuição aos mais necessitados.

O novo Presidente eleito, José Maria Neves, cuja investidura está prevista para 9 deste mês em sessão especial da Assembleia Nacional, anunciou, durante a campanha eleitoral, mobilizar parcerias para implementar um programa nacional de habitação para beneficiar sobretudo os mais necessidatos de Cabo Verde com baixos rendimentos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project