ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde quer contribuir para alargar entendimentos em áreas relevantes 17 Fevereiro 2022

O Governo cabo-verdiano sublinhou hoje a importância da Cimeira União Europeia/África, que começa na quinta-feira em Bruxelas, manifestando a vontade de contribuir para alargar entendimentos em áreas relevantes.

Cabo Verde quer contribuir para alargar entendimentos em áreas relevantes

Numa nota de imprensa, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional disse que Cabo Verde "está empenhado" em contribuir para o alargamento de entendimentos em áreas como alterações climáticas, segurança global, realização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

Segundo o gabinete do ministro Rui Figueiredo Soares, é preciso definir uma "estratégia conjunta UE-UA que tenha em consideração os interesses comuns dos dois continentes no seu todo, mas também de cada um dos seus Estados-membros, grandes e pequenos, como é o nosso caso".

O governante sublinhou ainda que o país partilha a visão da Aliança África-Europa para a criação de um espaço de solidariedade, segurança, paz e prosperidade sustentável para os dois continentes.

"Nesta linha, Cabo Verde vai apresentar-se como um país comprometido com a promoção e defesa da paz, do Estado de direito, da legalidade internacional e dos direitos humanos, que coloca as pessoas no centro de todas as suas preocupações e que aposta na busca de soluções pacíficas para as questões globais", completou.

Para o Governo cabo-verdiano, a cimeira vai ser "especial", uma vez que acontece num contexto pandémica, mas também porque será uma ocasião para as partes discutirem relações, sobre a gestão da crise e traçar passos para vencer a pandemia da covid-19 e garantir a retoma económica.

"Para Cabo Verde, trata-se de uma cimeira muito importante, justamente porque estamos a promover uma cada vez mais ativa participação e integração em África, do mesmo passo que estamos a consolidar as nossas relações de parceria estratégica com a União Europeia, no quadro da Parceria Especial firmada em 2007", salientou o executivo, que vai ter uma delegação na cimeira, chefiada pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva.

O Governo de Cabo Verde referiu que vai ser uma cimeira para a África e a Europa procurar alargar pontos de convergência com vista a uma maior aproximação, através do reforço da cooperação económica e da promoção do desenvolvimento sustentável, assentes na paz, segurança, democracia, prosperidade, solidariedade e dignidade humana.

"É neste contexto que a União Africana e a União Europeia estão determinados a trabalhar em conjunto numa base estratégica a longo prazo para desenvolver uma visão partilhada para as relações União EuropeiaÁfrica num mundo globalizado", lê-se na mesma nota.

Os líderes da União Europeia (UE) e da União Africana (UA) reúnem-se entre quinta e sexta-feira em Bruxelas, na VI cimeira UE/África, sucessivamente adiada devido à pandemia, com o objetivo de revitalizar uma parceria `ameaçada` pela presença russa e chinesa no continente africano.

A VI cimeira UE-África estava originalmente marcada para 2020, mas foi sendo sucessivamente adiada devido à pandemia de covid-19, que impediu designadamente que ocorresse durante a presidência portuguesa do Conselho da UE no primeiro semestre de 2021.

São esperados em Bruxelas os chefes de Estado e/ou de Governo da generalidade dos Estados-membros de ambas as organizações, com exceção dos quatro países atualmente suspensos pela UA devido a golpes de Estado (Burkina Faso, Mali, Sudão e Guiné-Conacri). A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project