ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde reduz 12,2 milhões de contos na importação de combustíveis 29 Novembro 2019

Cabo Verde importou cerca de 12,2 milhões de contos (39,6 milhões de dólares e 75,6 milhões de euros) em combustíveis no primeiro semestre de 2019. Segundo o relatório semestral da Agência Reguladora Multissectorial da Economia (ARME) Cabo-verdiana, em relação ao mesmo semestre do ano passado houve uma diminuição de 3,6% da importação e do preço médio dos produtos no mercado internacional.

Cabo Verde reduz 12,2 milhões de contos na importação de combustíveis

ARME afirma que este decréscimo de 3,6% em relação ao primeiro semestre do ano passado é devido à diminuição do volume importado e do preço médio dos produtos no mercado internacional. De acordo com a inforpress, as distribuidoras petrolífera que operam em Cabo Verde, nomeadamente, Viva Energy e a Enacol (lider do mercado) importaram por dia o equivalente a 606.000 euros em combustíveis nos primeiros seis meses.

De acordo com a nova tabela citada pela agência Cabo-verdiana de notícias, o gasóleo foi o produto mais importado por Cabo Verde neste período, chegando a 4.186 milhões de escudos (37,9 milhões de euros), enquanto a gasolina ascendeu a 332,5 milhões de escudos (três milhões de euros) e o gás butano a 363,9 milhões de escudos (3,3 milhões de euros).

O relatório divulgado pela ARME explica que de Janeiro a Junho de 2019, houve uma variação média positiva dos preços de venda em 3,9% e 2,3% respetivamente. Os preços médios de venda da gasolina e do petróleo foram de 12,30 e 87,90 estudos Cabo-verdianos na devida ordem. Em relação ao período homólogo, os preços médio da gasolina diminuíram em 1,3% e os do Petróleo aumentaram em 2,7%. Quanto aos semestre anterior a redução foi de 6,6% para Gasolina e 5,6% para o Petróleo”.

Nas ilhas

Conforme o mesmo relatório, no primeiro semestre deste ano comparativamente ao primeiro semestre do ano passado houve um aumento de vendas em todas ilhas, excepto na ilha de Santiago que registou no primeiro semestre uma redução de -2,4% das vendas.

A fazer fé na mesma fonte, as ilhas da Boavista e do Fogo foram destacados devido ao aumento das vendas em 26,6% e 11,7%, respetivamente. Logo a seguir, estão as ilha de São Nicolau (6,2%), Brava (4,4%), Santo Antão (3,7%), São Vicente (3,1%) e Maio (2,7%)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project