ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde regista um decréscimo das exportações na ordem de 14,0% em 2019 06 Fevereiro 2020

De acordo com os últimos dados provisórios do Comércio Externo, divulgados pelo Instituto Nacional de Estatísticas de Cabo Verde (INE-CV), relativos ao ano de 2019, o País registou um decréscimo das exportações na ordem de 14,0%, relativamente ao ano de 2018. Enquanto que as Importações aumentaram (2,7%) face ao ano de 2018 e verifica-se um aumento das reexportações em 18,4%, comparativamente ao ano de 2018. No período em análise, o deficit da balança comercial aumentou (4,4%) e a taxa de cobertura diminuiu em 1,5 pontos percentuais.

Cabo Verde regista um decréscimo das exportações na ordem de 14,0% em 2019

Exportações por Zonas Económicas, principais clientes e bens

A mesma fonte indica que no ano de 2019, as exportações de Cabo Verde totalizaram 6.071 mil contos, correspondendo a um decréscimo de 14,0%, face ao ano de 2018 (-989 mil contos).

Neste âmbito, convém salientar que a Europa continua sendo o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 96,4% do total das exportações cabo-verdianas, enquanto que a Espanha lidera o ranking dos principais clientes de Cabo Verde na zona económica europeia, representando, no período em analise, 77,5% do total das exportações.

Ainda de acordo com o Relatório do INE-CV, no ano de 2019 os produtos mais exportados por Cabo Verde foram os preparados e conservas de peixes, representando 60,7%, os Peixes, crustáceos e moluscos se posicionam em segundo lugar, com 16,2% do total, e os Vestuários ocupam o terceiro lugar, com um peso de 10,6%.

Importações por Zonas Económicas, principais fornecedores e bens

Segundo a mesma fonte, o continente europeu continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 79,6% do montante total, seguido de Ásia/Oceânia (10,1%), América (6,2%), Resto do Mundo (2,1%) e a África (2,0%). Já Portugal lidera entre os fornecedores de Cabo Verde com 42,0% do total, (1,4 p. p. a mais em relação ao ano anterior), seguido de Países Baixos e da Espanha, com (12,5%) e (10,5%), respetivamente, do total das importações.

O documento aponta que no ano de 2019, os produtos mais importados atingiram 55,5% do montante total das importações do país, contra os 55,4% alcançados por esses mesmos produtos no ano de 2018. Os combustíveis, lidera o ranking com 11,8%, seguido de reatores e caldeiras (7,5%), veículos automóveis (6,4%), maquinas e motores (5,9%), ferro e suas obras (5,5%), cereais (4,5%), leite (4,2%), plásticos e suas obras (3,5%), Carnes e miudezas comestíveis (3,3%) e bebidas alcoólicas (3,0%).

Importações por Grandes Categorias de Bens

Conforme ainda os dados do INE, as importações por grandes categorias de bens mostram que, no ano de 2019, os Bens de Consumo continuam sendo a principal categoria económica de bens importados por Cabo Verde, com 47,6% do total das importações. Os combustíveis (com um peso de 11,8%) tiveram uma evolução positiva de 1,1% face ao ano de 2018. Os bens intermédios atingiram 29,2% do peso total das importações com uma evolução negativa de 0,7%, enquanto que os bens de capital evoluíram negativamente (-10,7%), com um peso de 11,4% face ao ano de 2018.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project