ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cabo Verde registou 284 estabelecimentos hoteleiros em atividade e 17 outros fecharam as portas em 2019 04 Maio 2020

Segundo os dados do inventário anual realizado pelo Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde (INECV), no final do ano 2019 estiveram em atividade 284 estabelecimentos hoteleiros, a mesma quantidade que o ano anterior. Durante esse ano, fecharam 17 estabelecimentos hoteleiros, outros nove iniciaram suas atividades, quatro não foram localizados, um esteve em remodelação e oito recusaram a dar informações, sendo cinco destes são novos estabelecimentos. Essas unidades hoteleiras ofereceram uma capacidade de alojamento de 13.092 quartos, traduzindo-se em decréscimos de -0,7%. Registou-se acréscimos de 21.059 camas e 27.911 lugares, traduzindo-se em acréscimos de 0,1% e 0,2%, respetivamente, em relação ao mesmo período do ano anterior.

Cabo Verde registou 284 estabelecimentos hoteleiros em atividade e 17 outros fecharam as portas em 2019

Estabelecimentos hoteleiros e sua capacidade por ilha

De acordo com o último relatório do INECV, a ilha de Santo Antão possui 75 estabelecimentos de alojamento turístico, representando 26,4% do total existente. Seguem-se as ilhas de Santiago e São Vicente, com o mesmo estabelecimentos (49), correspondendo a 17,3% do total. Sal e Fogo com 30 estabelecimentos cada, representando 10,6% do total. A ilha da Boa Vista representa 8,5%, correspondendo a 24 estabelecimentos.

Nota-se que o maior aumento ocorreu na Ilha de Santo Antão, com um acréscimo de quatro estabelecimentos. Acréscimos ocorreram também nas ilhas de São Nicolau e São Vicente, com dois e um estabelecimentos, respetivamente, face ao ano anterior, enquanto que nas restantes ilhas não ocorreram variações.

Em relação ao tipo de alojamento, verificou-se maior aumento nas residenciais, com mais 16 estabelecimentos, face ao ano 2018. São seguidas dos hotéis apartamentos (+1). Verificou-se decréscimo nas pensões e aldeamentos turísticos, respetivamente, menos onze e seis estabelecimentos. Considerando a tipologia dos estabelecimentos hoteleiros, as residenciais passaram a ser os estabelecimentos com maior peso, representando cerca de 34,5% do total, ficando as pensões e os hotéis em segundo e terceiro lugares, com 27,1% e 25,7%, respetivamente.

No período em análise, os quartos disponíveis continuam a ter maior expressão na ilha do Sal (46,2%). Boa Vista manteve no segundo lugar, com 26,9%, e Santiago em terceiro, com 9,3%. Por tipo de estabelecimentos, os hotéis continuam a liderar com 78,6% dos quartos, seguidos pelos hotéis-apartamentos, com 7, 1%, pelas pensões e residenciais com igual peso (6,5%), respetivamente.

A oferta de camas concentrou-se principalmente na ilha do Sal (45,4%). Seguem-se as ilhas da Boa Vista com 30,4%, Santiago com 8,8% e S. Vicente com 6,1%. Enquanto isso, as restantes ilhas oferecem cerca de 11,2% do total das camas disponíveis. A distribuição das camas por tipo de estabelecimento revelou que os hotéis representam mais de três quartos da capacidade de camas disponíveis (79,9%). Em seguida estão os hotéis-apartamentos (7,6%), as residenciais (5,6%) e as pensões (5,5%).

Estabelecimentos hoteleiros segundo o pessoal ao serviço

Em finais de 2019 os estabelecimentos hoteleiros inventariados empregavam cerca de 9.050 pessoas, o que corresponde a um acréscimo de 2,5%, quando comparado com o ano 2018. Dados do Relatório do INECV apontam que os hotéis continuam a empregar o maior número de pessoas, representando cerca de 85,2%, do total do pessoal. Seguem-se as pensões (5,3%), os aldeamentos turísticos e as residenciais (ambos com 4,0%).

A ilha do Sal continua a ser a ilha que emprega a maioria do pessoal nos estabelecimentos de alojamento turístico. Cerca de 53 em cada 100 empregados dos referidos estabelecimentos estão nessa ilha. De seguida, aparecem as ilhas da Boa Vista, com 24,7% e Santiago com 9,1%. O pessoal remunerado representa 98,8%, do total do pessoal empregado. Além disso, a grande maioria do pessoal empregado (92,7%) é nacional. De igual modo, 58,8% desse mesmo efetivo é representado pelas mulheres. “Do pessoal ao serviço remunerado, 71,0% tem contrato a termo, 26,2% tem contrato permanente e 2,8% não tem contrato. Dos com contrato a termo, 44,8% tem contrato de um ano, 34,0 tem contrato por três meses e 21,2% tem contrato por seis meses”.

Por categoria de pessoal ao serviço, a restauração representa 19,5% do pessoal, a cozinha representa 16,9%, andares (14,1%) e limpeza (9,2%). As categorias menos representativas são o controlo (0,9%) e economato com 1,0%. Segundo o escalão de pessoal ao serviço, continuam a ser mais representativos os estabelecimentos hoteleiros que empregam três a cinco pessoas, com cerca de 31,3%. Seguem-se os estabelecimentos que empregaram uma a duas pessoas e seis a nove pessoas com, 20,4% e 20,1%, respetivamente.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project