INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Canadá: 1ª ’Reunião de Ministras de Negócios Estrangeiros’ —Só mulheres 23 Setembro 2018

"As mulheres são elos essenciais para encontrar as soluções dos problemas políticos, económicos e sociais que as nossas sociedades enfrentam", discursou a ministra canadiana dos Negócios Estrangeiros, esta sexta-feira, 21, em Montreal, na abertura da primeira conferência que reúne ministras que chefiam a diplomacia dos seus países.

Canadá: 1ª ’Reunião de Ministras de Negócios Estrangeiros’ —Só mulheres

As dezanove ministras responsáveis pela Diplomacia estão reunidas, durante dois dias, em Montreal, Canadá, para discutir questões relativas à segurança e violência baseada no género.

As discussões, de portas fechadas, focam quatro temas: "Reforço da autonomia, participação política e liderança das mulheres", "Reforço da democracia", "Promoção da paz e segurança" e "Eliminação da violência baseada no género".

A inédita reunião, que espera abrir uma nova era de cooperação entre as mulheres diplomatas, segundo as palavras da co-anfitriã, Federica Mogherini, conta com a participação de dezanove ministras. Elas tutelam a diplomacia da África do Sul, Andorra, Bulgária, Canadá, Costa Rica, Croácia, Gana, Guatemala, Honduras, Indonésia, Namíbia, Noruega, Panamá, Quénia, R. Dominicana, Ruanda, Santa-Lúcia, Suécia e União Europeia.

A inédita ’Reunião de Ministras de Negócios Estrangeiros’ mobilizou mais de metade das trinta mulheres que lideram a diplomacia dos seus países no mundo. Oito na Europa (inclui Federica Mogherini, pela UE), dez na América Latina e Caraíbas, cinco na África, cinco na Ásia.

Ministra anfitriã ’comprometida em libertar Ucrânia da esfera russa’

A escolha, no final de 2016, de Chrystia Freeland para a pasta da Diplomacia suscitou desde logo especulações sobre a frente anti-russa que o primeiro-ministro Justin Trudeau abria deste modo, em antecipação de uma estratégia concertada com os Estados Unidos.

É que a antiga jornalista Chrystia Freeland mostra nos seus trabalhos desde 1991 o seu comprometimento em libertar da esfera russa a Ucrânia, terra dos seus avós por parte da mãe, que emigraram "devido à perseguição estalinista", como ela refere.

Fontes: Radio Canada/DW.de/Washington Post/Journal de Montreal

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project