AUTÁRQUICAS 2020

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Casos de campanha/Acusação do PSD: PAICV, UCID e PP concordam com a denúncia de que o MpD usa o Covid -19 para “justificar os seus fracassos” 04 Abril 2021

Em entrevista ao Asemanaonline, representantes dos candidatos para as legislativas do próximo 18 de Abril em Santiago Sul confirmam as criticas feitas pelo PSD ao governo de Ulisses Correia e Silva, de usar a pandemia para justificar os fracassos durante a sua governança e de estar a usar o Covid- 19 para “condicionar” as eleições.

Casos de campanha/Acusação do PSD: PAICV, UCID e PP   concordam com a denúncia de que o MpD usa o Covid -19 para “justificar os seus fracassos”

À luz de críticas feitas pelo mandatário do PSD, José Rui Além, ao MpD e o seu líder, Ulisses Correia e Silva, o grupo do PAICV liderado pela candidata Janira H. Almada, a UCID encabeçada por Francisco da Silva e o PP que tem Amândio Barbosa Vicente como cabeça de lista, validam as acusações de que os "Ventoinhas" estejam a usar a situação da pandemia para “justificar os seus fracassos” ao logo destes cinco anos de governação.

A acrescentar ao argumento do PSD, o mandatário do partido da "Estrela Negra" para a região Santiago Sul, Avelino Bonifácio, considera que o MpD está a fazer o uso “até ao limite extremo” do Coronavírus "para condicionar as eleições". Isto porque estão a “ descumprir” todos os compromissos que fizeram aquando do surgimento da COVID-19 e andam a “comprar por 15 mil escudos” a consciência do povo com as ajudas recebidas para o combate à pandemia.

Por sua vez, na voz do seu mandatário para a maior região eleitoral do país, José Carlos Pereira da Veiga, a UCID aponta alguma incongruência entre a atitude das equipas do MpD no terreno, "sem máscaras e outros equipamentos e com grandes aglomerações de pessoas" e as informações oficiais sobre o aumento galopante das infeções nos últimos dias.

A posição do MpD faz aquele representante da UCID deprender que se está perante uma estratégia para aumentar o número de abstenções nas eleições de 18 de abril, e que poderão beneficiar os Ventoínhas. Por outro lado, aponta como preocupante o "descuido" das equipas do MpD no terreno e que poderão contribuir para o aumento de infetados, pondo em risco, inclusive, a saúde dos líderes e ativistas do MpD.

“Se a acusação de que o grupo do MpD está a usar o COVID-19 para condicionar as eleições for verdade, esperamos que as autoridades eleitorais competentes se posicionem e tomem as devidas medidas”, sublinha o mandatário do PP, Arlindo Mendes Vieira. O mesmo ainda acrescenta que não faz sentido o MpD usar esta pandemia para “justificar não ter feito melhor para o país” uma vez que assumiu o governo em 2016 e a pandemia só começou nos finais de 2019 - quatro anos depois da entra do atual executivo de Ulisses Correia e Silva em funçoes.

Por sua vez, o líder da lista do PTS, Carlos Manuel Tavares, conhecido como Romeu di Lurdes, diz não ter uma ideia formalizada, prefrindo deixar para uma outra oportunidade quaisquer pronunciamentos sobre o tema.

Sobre este assunto, já aquando da confrontação com as acusações originais do PSD, o rvice-presidente do MpD e ministro do Governo cessante, Fernando Elísio Freire, descartara como sendo "falsas" e "disparatentas" tais acusações.

Freire afiança que antes desta pandemia o país estava "num bom caminho”, mas que, com o surgimento do vírus tudo ficou condicionado a nível mundial e a nível do país". Ao lonog destas campanhas legislativas, o seu partido propõe mostrar o percurso feito e caberá "ao povo" decidir qual a plataforma a ser eleita no próximo dia 18 de abril.

Porém, este reafirma a determinação do MpD em vencer a "guerra" contra o Coronavírus e a COVID-19". Daí que refuta as acusações sobre os alegados "descuidos" das suas equipas no terreno e garante que estão e vão continuar a usar e a respeitar todas a medidas sanitárias impostas, “pois que o nosso foco neste momento é em salvar vidas!"

Ver artigo relacionado: «Casos da campanha/Polémica: PSD acusa Ulisses Correia e Silva de “terrorista” e de “roubar o povo”, Fernando Elísio refuta as acusações». KS/Redação

Link relacionado: https://www.asemana.publ.cv/ecrire/?exec=article&id_article=146007#

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project