ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Carta da D. Marlene Barros, mãe de “Eurico Barros, poeta…” a pedir retificação da notícia publicada neste online 27/8. 31 Agosto 2018

Sobre o artigo que publicaram da morte do meu filho Almir Eurico Lopes de Barros que agradeço seu conteúdo em parte, mas a informação do desaparecimento de dois dias não corresponde à verdade, pelo que agradeço-lhe essa rectificação, pois que os filhos que estão nos Estados Unidos, leram o jornal e ficaram transtornados, por não lhes termos avisado do desaparecimento do irmão antes da sua morte.

Carta da D. Marlene Barros, mãe de “Eurico Barros, poeta…” a pedir retificação da notícia publicada neste online 27/8.

Excelentíssimo Senhor
Director de “A Semana”

A Paz de Deus esteja consigo e toda a família. Sobre o artigo que publicaram da morte do meu filho Almir Eurico Lopes de Barros que agradeço seu conteúdo em parte, mas a informação do desaparecimento de dois dias não corresponde à verdade, pelo que agradeço-lhe essa rectificação, pois que os filhos que estão nos Estados Unidos, leram o jornal e ficaram transtornados, por não lhes termos avisado do desaparecimento do irmão antes da sua morte.

Informo-o, senhor Director, que, para além dos vizinhos terem visto o Eurico segunda-feira de manhã a ir comprar pão para o seu café, eu como mãe fui vê-lo por volta das 18H00, ele estava sentado na cama a ler (livros de Teologia e Bíblia) pois que fez curso de Teologia e queria ser padre.

Eu falei com ele, de estar a coxear para ir à clínica do Doutor Francisco no Plateau, que fica à frente do Hospital, para que lhe pusessem gesso no pé doente(pensando ser entorse) abencoei-lhe como sempre desenjando-lhe que realizasse seus sonhos de pregar a Palavra de Deus.

Assim espero que faça essa retificação, explicando na vossa informação que ele foi visto pelos vizinhos de manhã a ir comprar pão para o seu café na 2ª feira e no mesmo dia 2ª feira que a Mãe lhe falou cerca das 18 horas, vendo-o da janela a ler a bíblia e recomendou-lhe ir à Clínica Doutor Francisco, porque ele nunca aceitou ir ao Hospital, tinha mesmo horror de nós lhe falarmos do Hospital ( mudava de atitude).

Sou uma mãe que se submete muito à vontade dos filhos, contudo com o poder de Deus que faz milagres, já fui várias vezes abençoada com milagres na força de fé e oração.
Compreenda a nossa situação e evite qualquer situação que possa magoar a família (mesmo que distorcendo as coisas).

Deus lhe abençoe e muita saúde.
Marlene Barros


Nota Redacção: 1) Uma segunda leitura ao artigo facilmente permitirá compreender que em nenhum momento é usada a palavra desaparecimento (ou de igual significado). 2)Publicamos na íntegra a carta, que agradecemos, com o esclarecimento sobre a data da morte do malogrado, bem como outros factos de interesse que a signatária gentilmente entendeu acrescentar. Voltamos a expressar as nossas condolências à família enlutada.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project