INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Caso Skripal: Muitos rumores, zero informação sobre origem do neurotóxico 06 Maio 2018

O rumor assumiu de novo o lugar da notícia, desde sexta-feira,04. Vários órgãos europeus retomaram notícias de há três semanas sobre alegadas afirmações dum laboratório suiço, o Spiez Labor, de que o neurotóxico era o BZ, de fabrico ocidental e logo excluindo quer a sua origem russa quer a tentativa russa de matar o agente duplo.

Caso Skripal: Muitos rumores, zero informação sobre origem do neurotóxico

Dois meses após o envenenamento com um neurotóxico que quase matou o ex-espião russo Serguei Skripal e a filha Yulia na Inglaterra, ainda se desconhece a origem do produto. Onde falta informação campeia o rumor e neste conflito britânico-russo a regra aplica-se: desde declarações bombásticas tanto sobre a origem russa do químico quanto sobre o seu desmentido e indicação de que se trata de um produto utilizado no âmbito da Nato, passando por retumbantes expulsões de diplomatas, de um lado o regime de Putin e do outro lado, o Reino Unido e aliados.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, Serguei Lavrov, esteve em diversos media, do Sputnik ao The Guardian, a transmitir a versão de que o neurotóxico era o BZ, de fabrico ocidental. Esta semana voltou a referir a autoridade do laboratório suíco.

Spiez Labor: “não confirma nem desmente, porque cabe à OPCW informar

O laboratório suíco encarregue de analisar o neurotóxico utilizado na tentativa de envenenamento dos Skripal, tinha, de facto, declarado a 16 de abril que “não podia nem confirmar nem desmentir a alegação de que o químico era de origem russa”. E rematava que para essas informações devia ser ouvido o organismo próprio, a OPCW, que controla a “Proibição de Uso de Armas Químicas”.

Também esta semana, um responsável do Spiez Labor, Stefan Mogl, entrevistado pelo ‘Neue Zürcher Zeitung’, diário de Zurique, afirmou: “Não há dúvida nenhuma de que os cientistas britânicos identificaram corretamente o neurotóxico Novichok, de fabrico russo, nas amostras do veneno utilizado”.

Fontes: Referidas. Foto https://www.sott.net/-- Ministro dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, a braços com o caso Skripal "uma grande dor de cabeça"

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project