MÚSICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Centro cultural do Mindelo reinventa-se para se adaptar aos novos tempos 25 Fevereiro 2021

As atividades no Centro Cultural do Mindelo (CCM) decorrem agora num ritmo totalmente diferente. O espaço que é direcionado aos fazedores da cultura recebe propostas de toda a associação de todos os núcleos que querem fazer atividades na ilha. O centro optou por reestruturar e repensar a sua forma de fazer cultura. Por estarmos a viver tempos difíceis e desafiadores devido à pandemia de Covid-19, os Teatros em todo o mundo tornaram-se nos mais diversos sobreviventes com todos os tipos de coragem e resiliência - o CCM está também a seguir o mesmo caminho.

Centro cultural do Mindelo reinventa-se para se adaptar aos novos tempos

Numa conversa descontraída com o Asemanaonline, o diretor do Centro Cultural do Mindelo, António Tavares, salienta que houve uma mudança drástica na programação do centro. Anuncia que está programado a reabertura da temporada que acontece a 21 de Março, chamado de Micadinaia Fest. O desenrolar das atividades no centro acontece em 4 temporadas de 3 meses e cada temporada tem uma temática.

Em 2020, como refere, “tínhamos feito toda a programação, contatando pessoas. De repente, tudo para por causa da pandemia, tivemos que cancelar um concerto e fechamos as portas e reabrimos no mês de julho”.

Segundo a mesma fonte, a reabertura do centro trouxe mais cuidados durante a realização das suas atividades e uma forma diferente de fazer cultura. Realçou que o espaço online veio a ser o ambiente mais propício para as gentes da cultura. “Neste momento, toda a atividade que estava ligada a parte de serviço educativo, que é a área de formação que temos aqui, é dedicado a 3 projetos que estão ligados ao teatro e à dança. Estamos a produzir filmes curtos, que consistem em ir aos nossos legados de literatura, nomeadamente escritores contemporâneos cabo-verdianos e tentar os transportar para uma criação”, explica Tavares, que denomina este projeto de “Kilha”. Este é um ciclo de peças curtas a partir de textos de autores(as) cabo-verdianos (as), apresentado sempre no espaço online - já está no seu 5º Módulo.

A juntar-se a esta atividade, aos finais de tarde o centro faz uma conversa com os mesmos escritores que são contemplados por cada edição. «Aqui fazemos uma conversa zoom, que é apresentada mensalmente pelos alunos do grupo Kanizade. Esta iniciativa é denominda de “DZAMPARIN IV – ciclo de conversas à volta”, revela António Tavares.

Já o painel online apresentado é composto por convidados diferentes em cada sessão, em que o centro considera ser importante para se pensar no trabalho a desenvolver, bem como sobre o estado da arte e consequentemente da realidade que daí decorre.

O dirigente cultural admite que esta forma de fazer cultura permitiu explorar outras coisas. Salienta que se está a fazer algo que no início não sabiam o que era, mas que neste momento o Centro Cultural do Mindelo está a entrar num “campo exploratório bastante interessante”.

Revela o entrevista deste jornal que criou-se um outro projeto musical que se chama “Jazz Verde”, que no dia 11 de março acontece a sua 3ª edição. É dedicado a projetos emergentes, ou seja, “trazer outras noções de música”. O centro tem ainda um programa de recital da morna e grandes concertos.

“Estamos aqui a recomeçar gradualmente o projeto, fazendo experimentações e observando as reações. O que é importantíssimo é fazermos a cultura”, finaliza o entrevistado do primeiro diário cabo-verdiano em linha de refererência.
AC/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project