MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

China: Pai andou 500.000 km de mota e encontra filho roubado há 24 anos — Campanha recupera 2609 crianças traficadas 15 Julho 2021

Guo Xinzhen foi raptado em 1997, aos dois anos, enquanto brincava à porta de casa, em Liaocheng, na província de Shandong. O pai abriu uma campanha de busca extraordinária, que não só lhe devolveu o filho (na foto) como permitiu recuperar um total de duas mil seiscentas e nove crianças levadas por criminosos. Esta terça-feira, 13, o Ministério da Segurança Pública anunciou na capital, Pequim, a vitoriosa campanha da reunião que devolveu às famílias duas mil seiscentas e nove crianças vítimas de rapto.

China: Pai andou 500.000 km de mota e encontra filho roubado há 24 anos — Campanha recupera 2609 crianças traficadas

A busca de Guo Gangtang pelo filho levou-o a gastar todas as economias, dormir ao relento, passar fome, ser assaltado e espancado, totalizar quinhentos mil quilómetros sobre uma moto — num total de dez, rompidas uma após outra — e deu lugar a uma campanha que sensibilizou os poderes públicos.

A persistência do pai de Xinzhen pôde assim contar com a colaboração da polícia da sua cidade durante longos anos. Mesmo após terem utilizado tecnologia do ADN, a busca só teve sucesso vinte e quatro anos depois. A notícia, primeiro veiculada nos órgãos públicos da China, está a ter repercussão nos media internacionais.

A primeira vez que se fez colheita de ADN em casos de desaparecimento na China foi em 2000, três anos depois da criança ter sido levada — sabe-se agora que por um par de namorados, que decidiu iniciar assim uma carreira criminosa.

Mas sem o ADN de Xinzhen, o caminho da investigação ia ser longo.

Este ano a campanha "Reunião" lançada pelo Ministério da Segurança Pública deu um novo impulso à campanha dos Guo em busca de Xinzhen. O caso pôde contar com os novos conhecimentos da força-tarefa dedicada e com novas instruções a abranger o todo nacional, segundo relata o China News esta terça-feira.

Segundo a reportagem, foi há cerca de um mês que a investigação levou a um suspeito na província de Henan, no centro do país e a cento e oito quilómetros de Shandong. O teste de ADN provou que era Xinzhen.

O menino tinha sido raptado por um nativo de Henan, Hu Mou, hoje com 56 anos, e pela namorada Tang, hoje com 45 anos, natural de Liaocheng, Shandong. Foi ela a identificar a criança que queriam e chamou o namorado que morava noutra província para levarem avante o plano de "roubar" a criança para usar na mendicância e ou vendê-la para adoção.

Tang detida em Shanxi acabou por confessar todos os factos relativos ao rapto de Xinzhen. Ela tinha-o ’marcado’ após o ver a brincar à porta de casa. Não foi difícil ela atrair o rapazinho e levá-lo de autocarro até à estação rodoviária intercidades onde Hu esperava.

O raptor de Xinzhen está há anos na prisão de Shanxi pelo seu envolvimento num outro caso de rapto. Ao ser identificado como raptor de Guo Xinzhen, recusou falar com a polícia.

Só após a confissão da ex-namorada, Hu admitiu a verdade dos factos, incluindo a venda do menino de dois anos no mesmo mês do rapto, em setembro de 1997.

Reunião: 2609 desaparecidos, 372 traficantes detidos

A descoberta destas 2609 crianças desaparecidas — algumas há décadas como Xinzhen — levou à prisão de 372 suspeitos de sequestro e tráfico humano.

Estimativas desde 2015 indicam que em média 20.000 crianças são raptadas para tráfico humano na China. O seu destino inclui desde a venda para adoção ao trabalho escravo. Segundo um advogado ativista disse ao diário Global Times, em Pequim na segunda-feira, 12, a Lei Penal chinesa tem de ser reformada pois contempla só até três anos de prisão para quem compra/adota ilegalmente uma criança.

Segundo relatórios das Nações Unidas (ilo.org), um total de perto de cinquenta milhões de pessoas, 25 por cento delas crianças, são vítimas de tráfico humano, para fins hediondos como exploração sexual e ou trabalho escravo.

— -

Fontes: Referidas. Fotos (China News): A polícia regional celebrou com a família Guo, este domingo, 11, a solução do caso do bebé Xinzhen raptado em 1997 aos dois anos, em Liaocheng, na província de Shandong. (BBC): Em 2007, a BBC relatou a busca de Xiao (à esqª) pelo filho de cinco anos raptado ao ir comprar doces com a irmã, a poucos metros da loja da família. Nesses dez anos, Guo continuava na estrada em busca do filho — que só agora teve um final feliz.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project