INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

China felicita Biden pela tomada de posse e pede unidade na relação bilateral 25 Janeiro 2021

De acordo com o SIC Notícias, a China felicitou esta quinta-feira Joe Biden pela tomada de posse como Presidente dos Estados Unidos e lembrou o seu discurso para também pedir "unidade" na relação entre os dois países.

China felicita Biden pela tomada de posse e pede unidade na relação bilateral

"Constatei que o Presidente Biden insistiu repetidamente no seu discurso na palavra ’unidade’. Acho que é exatamente disso que precisamos agora na relação sino/norte-americana", disse Hua Chunying, porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da China aos jornalistas.

Biden voltou a apelar à união no último discurso do primeiro dia como Presidente
A relação entre os dois países caiu ao nível mais baixo sob a Administração do ex-Presidente Donald Trump, que travou uma guerra comercial e tecnológica com o gigante asiático.

Logo após a posse de Joe Biden, que ocorreu na quarta-feira em Washington, Pequim anunciou sanções contra 28 ex-funcionários do Governo cessante, incluindo o secretário de Estado Mike Pompeo, que será proibido de entrar na China e em Hong Kong.

Mas Pequim, que demorou para reconhecer a vitória do candidato democrata, diz que quer virar a página.

"Eu penso que tanto a China quanto os Estados Unidos devem ter coragem e mostrar sabedoria para se entenderem mutuamente", disse a diretora do departamento de informações do ministério chinês.

"É obrigação da China e dos Estados Unidos, como duas grandes nações, e também é a esperança da comunidade internacional", declarou a porta-voz.

"Se os dois lados cooperarem, os anjos benevolentes prevalecerão sobre as forças do mal na relação China-EUA", declarou Hua, citando outra passagem do discurso de Joe Biden.

A porta-voz saudou o regresso dos Estados Unidos ao acordo de Paris sobre o clima e à Organização Mundial da Saúde (OMS).

A nova Administração norte-americana terá que lidar com vários assuntos relacionados à China, nomeadamente a questão dos direitos humanos, especialmente em Hong Kong e na região de Xinjiang, habitada por muçulmanos uigures.

A este respeito, o secretário de Estado nomeado por Joe Biden, Antony Blinken, mostrou firmeza na terça-feira durante uma audiência no Senado.

Blinken disse que compartilhava da acusação lançada por Mike Pompeo de "genocídio" perpetrada pela China contra os muçulmanos uigures.

O novo secretário de Biden também admitiu que o Presidente republicano cessante "estava certo em adotar uma postura mais firme contra a China".

Joe Biden - que sucede a Donald Trump, após ter vencido o republicano nas eleições presidenciais de 3 de novembro - prestou juramento quarta-feira, na escadaria oeste do Capitólio, numa cerimónia sob um forte dispositivo de segurança, após o violento ataque ao Congresso, na passada semana, por uma multidão de apoiantes de Donald Trump.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project