INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Chuvas torrenciais provocam pelo menos 45 mortos no Japão 07 Julho 2020

Chuvas torrenciais que continuam a cair esta segunda-feira, 06, no sudoeste do Japão já deixaram pelo menos 45 mortos e cerca de uma dúzia de desaparecidos, além de cidades inundadas e sérios danos materiais a residências e infraestruturas.

Chuvas torrenciais provocam pelo menos 45 mortos no Japão

De acordo com a agência de notícias espanhola EFE, citado pela Lusa, as autoridades locais informaram que 45 pessoas morreram devido às fortes chuvas que atingem, particularmente, a ilha de Kyushu, no sudoeste do país, desde o fim de semana passado. Já a agência de notícias francesa AFP avança com um balanço de 50 mortos devido às chuvas nesta região.

O recorde de chuvas levou a Agência Meteorológica do Japão (JMA) a declarar também o alerta máximo nas autarquias de Fukuoka, Saga e Nagasaki, todas na ilha de Kyushu. “Essas chuvas torrenciais são adicionais às que caíram durante o fim de semana em Kumamoto, também na ilha de Kyushu, e onde ocorreram a maioria das mortes e desaparecimentos, escreve a Agência Lusa.

Pelo menos, 45 pessoas morreram em Kumamoto, de acordo com os dados mais recentes fornecidos pelas autoridades locais. Deste número, 14 morreram num lar de idosos localizado numa área que foi inundada e que fica próxima ao rio Kuma, de acordo com uma conferência de imprensa do governo de Kumamoto, conforme a mesma fonte.

Os esforços de resgate, nos quais participam as Forças de Autodefesa do Japão, continuam na cidade de Kumamoto, onde as chuvas causaram transbordo de rios e inundações em uma dúzia de cidades, além de deslizamentos de terra e bloqueios em estradas. Sabe-se que nesta região foram registadas chuvas de até 100 milímetros por hora e 800 milímetros acumulados nessa região, níveis nunca observados desde que há registo. “Nas outras três autarquias declaradas em alerta, o nível de chuvas também é o mais alto registado em décadas nesta época do ano no Japão, considerada a estação chuvosa”.

O fenómeno meteorológico levou as autoridades locais a ordenar a retirada de mais de 250 mil pessoas nas quatro autarquias mencionadas e ainda em outras nas proximidades. Entretanto, de acordo com a Lusa, esses procedimentos foram dificultados por precauções para evitar possíveis infeções pelo novo coronavírus, o que levou a reduzir pela metade a capacidade de acomodações temporárias, como em ginásios e outros estabelecimentos públicos.

A JMA antecipou que as chuvas torrenciais continuarão no sudoeste do país durante o resto do dia desta segunda e terça-feira, recomendando que os habitantes das áreas afetadas permaneçam em suas casas enquanto estiverem seguros ou deslocarem-se para os abrigos temporários ativados pelas autoridades, segundo noticia a Lusa.
.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project