ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cidadela ao Deus-dará : Falta de água corrente, rede de esgotos e ruas esburacadas revoltam moradores 28 Mar�o 2021

Moradores do Bairro da Cidadela, na cidade da Praia, dununciam que se encotram «ao deus-dará«, ou seja, ignorados e discriminados pelas sucessivas Câmaras Municipais e pela firma Águas de Santiago (ADS), exigindo esclarecimento público e a intervenção urgentes por parte das autoridades competentes sobre a resolução dos vários problemas que os vêm afetando desde há anos. Em causa está sobretudo o alegado estado de abandono em que se encontram, com a falta de água corrente nas torneiras, rede de esgotos sanitárias e estradas com pisos esburacados. O presidente do CA da ADS, Lívio Ribeiro, anuncia que, no tocante à rede de água, a empresa contraiu, com a entrada em funcionamento da 4ª dessalinizadora da Electra Sul prevista para breve, um crédito junto à banca, com o aval do Estado de Cabo Verde, para financiar o projeto em curso de ligação de água ao domicílio, cuja conclusão está prevista para acontecer ainda no deste ano.

Cidadela ao Deus-dará : Falta de água corrente,  rede de esgotos e ruas esburacadas revoltam moradores

O Asemanaonline fez uma ronda por algumas ruas deste bairro da Capital, conversou com residentes e apurou que a queixa se repete com poucas variações. Muitos moradores confidenciaram a este diário digital que há muito que vêm exigindo melhorias neste bairro recentemente criado, mas que ninguém lhes dá “cavaco”. “Aqui, todos sofremos da falta de água corrente, da rede de esgotos e as nossas ruas estão quase todas esburacadas”, revela a moradora Maria Joana Semedo.

João Andrade é a outra voz do inconformismo perante a situaçao referida. Este residente diz não entender como é possível as autoridades municipais os deixaram à “Deus dará”. “O pior, é que, nós aqui, não temos rede de esgotos, há falta de água corrente nas torneiras e por todo lado nota-se buracos nas ruas asfaltadas, sujeitas a provocarem acidentes e prejuízos para os proprietários de veículos”, denuncia.

De acordo com outra moradora, Leonilde Silva Barreto, há mais de dez anos que os residentes da Cidadela, um dos mais recentes bairros da cidade da Praia, esperam pela ligação da água, pelo melhoramento das condições de saneamento e da estrada. Leonilde afirma que estão agastados com os problemas que se arrastam há vários anos, sem que sejam resolvidos. “Aqui, todos nós compramos água, através dos camiões cisternas e para cada tonelada de água pagamos mil escudos. Não temos água corrente, mormente rede de esgotos”, aponta.

Ambiente de tristeza e revolta

Conforme apurou a reportagem do Asemanaonline, moradores da Cidadela mostram-se tristes, revoltados e consideram-se discriminados pelas sucessivas Câmaras Municipais e pela Águas de Santiago (ADS). Por isso, pedem o esclarecimento público e a intervenção das autoridades competentes na resolução dos problemas expostos. Aliás, para muitos, a prometida “Cidade do futuro” não ficou devidamente infraestruturada e urbanizada, porquanto ficou desprovida de água corrente, rede de esgotos e arruamentos dignos.

Os entrevistados afirmam a este jornal que esses problemas já foram encaminhados várias vezes à Câmara Municipal da Praia e que até agora não surtiram efeito. "Já cansamos de exigir das sucessivas Câmaras Municipais para resolverem os nossos problemas da falta de água, da rede de esgotos, melhoria das rodovias, mas ninguém nos dá qualquer esperança. Não é justo que os moradores paguem impostos tão caros e passem por essa situação", sentenciou a moradora Carla Silva.

Outro inconformado com os problemas do bairro é Arlindo Cardoso. Este acredita que, apesar da Cidadela ser criado recentemente, não oferece condições aos moradores. Há quem fale em abandonar a zona, vender a sua habitação e encontrar outra zona que lhe proporcione melhores condições. “Aqui é triste e estamos esquecidos. Faz quatro anos que moro aqui e nunca vi alguém vir aqui fazer um reparo", conta.

Taxistas e proprietários de veículos revoltados com o estado da rodovia

Mas segundo as nossas fontes os problemas da Cidadela não ficam por aí. O estado precário de conservação do asfalto aconselha medidas e os utilizadores da estrada dizem que várias vezes têm contactado as sucessivas autoridades municipais, mas os problemas mantêm-se para o desespero de quem tem de andar para se fazer à vida.

Alguns automobilistas ouvidos por este diário digital criticam não entender por que é que as pessoas têm de pagar a taxa de circulação, se as estradas estão em péssimo estado e os carros não conseguem circular devidamente. “Muitas vezes realizamos manobras perigosas para evitar danos nos nossos veículos. Estas manobras podem ocasionar acidentes graves até mesmo para os peões, já que o tráfego na rua é constante”, revela, o taxista Bernardo Gonçalves.

"Faz tempos que as ruas não recebem melhorias, no entanto, somos obrigados a pagar periodicamente as taxas de circulação e de manutenção de estradas. Esses buracos são uma vergonha e estamos cansados de pedir melhorias. Somente quando alguém se machucar ali é que irão tomar providências", criticou outro residente, que pediu anonimato.

Outros mun icíipes ainda dizem que várias reivindicações já foram feitas junto do Governo e das administrações municipais, mas que nunca os deram “ouvidos”. "As autoridades municipais sempre dizem que irão verificar a via nos próximos dias, mas nunca aparecem. A verdade é que quando se aproximam as eleições, todos prometem e nada fazem para nos agradar”, lamenta o taxista, José Carlos.

Ligação domiciliária de água com o funcionamento da nova dessalinizadora

Ouvido por Asemana, o Presidente do Conselho da Administração da Água de Santiago (AdS), garantiu que quanto à rede de água, com entrada em funcionamento da 4ª dessalinizadora da Electra Sul previsto para breve, a empresa contraiu um crédito junto à Banca, com o aval do Estado de Cabo Verde, para financiar o projeto em curso de ligação de água ao domicilio com a previsão da sua conclusão no decurso desde ano de 2021.

“A AdS, só não executou a ligação domiciliária à cidadela e outras localidades até este momento, por falta de quantidade de água suficiente para abastecer as cidades da Praia, São Domingos e São Lourenço dos Órgãos, e esta falta que será resolvida com entrada em funcionamento da 4ª dessalinizadora da Electra Sul previsto para breve”, anuncia Olívio Ribeiro.

No tocante à rede de esgotos, a mesma fonte revela que a Cidadela tem infraestruturas de rede de esgotos e de rede de água primária, secundária e de demais de ligação. “A rede de água secundária e ramais de ligação foram danificadas ao longo das obras de construções das habitações”, aponta, sem contudo indicar se ADS pretende reparar essa infra-estrutura.

Câmara da Praia por reagir

Entretanto, até o fecho desta reportagem, o Asemanaonline tentou ouvir o vereador da pasta das Infraestruturas e Transporte da Câmara Municipal da Praia sobre o assunto, mas Samilo Moreira mostrou-se indisponível em responder de imediato as questões que lhe foram remetidas. No entanto, este diário digital promete retomar esta materia numa das próximas edições, caso a Càmara venha a pronunciar-se sobre as preocupações expostas pelos residentes da Cidadela.

CL/Redação

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project