ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Cidade da Praia acolhe VI Encontro de Emissão e Tesouraria dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa 22 Setembro 2018

“A Função Emissão e Tesouraria no Contexto do Actual Desenvolvimento do Sistema de Pagamentos”, é o tema central que os colaboradores de bancos centrais de Língua Oficial Portuguesa das áreas de emissão, tesouraria e gestão do meio circulante irão debater, nos dias 24 e 25 deste mês, durante o VI Encontro de Emissão e Tesouraria dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa, que decorre na Sala de Conferências do Hotel Pérola, Cidade da Praia, Presidido pelo Administrador do Banco de Cabo Verde, Carlos Rocha.

Cidade da Praia acolhe VI Encontro de Emissão e Tesouraria dos Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa

O VI Encontro de Emissão e Tesouraria tem como objectivo estreitar laços de cooperação entre os bancos centrais, possibilitar uma reflexão conjunta sobre temas específicos da função, emissão e tesouraria, de forma a se estabelecer estratégias de actuação em áreas de interesse comum. Trata-se de um evento bienal, que teve o seu início em 2007 e é direccionado “exclusivamente”, a colaboradores de bancos centrais de Língua Oficial Portuguesa das áreas de emissão, tesouraria e gestão do meio circulante.

Segundo a organização do evento, vários temas comuns vão ser apresentados e debatidos ao longo do encontro. São os caos de futuro da Emissão Monetária – Impactos de uma eventual “Moeda Digital de Banco Central” nas funções dos bancos centrais; A importância do substrato na durabilidade das notas – vantagens da adopção do substrato de polímero; Os desafios do saneamento do numerário: a gestão das notas e moedas de baixa denominação.

Conforme o BCV, vão estar ainda em debate o estudo sobre a utilização dos diversos meios de pagamento em Portugal, a emissão monetária na zona da União Monetária Oeste Africana, uma missão fundamental do Banco Central dos Estados da África de Oeste, o processo da reforma monetária em São Tomé e Príncipe, a gestão do numerário – experiências e desafios em Angola, modelo de emissão de numerário no Brasil, no contexto do sistema de pagamentos brasileiro, bem com a evolução da circulação da moeda e sistema de pagamentos em Timor Leste.

Para a organização da Conferência, apesar das diferenças de contexto, de modelos organizacionais e de funcionamento e, ainda, de escala/dimensão dos países participantes, a missão e as atribuições dos Departamentos responsáveis pela Emissão e Tesouraria dos Bancos Centrais são, no essencial, semelhantes, enfrentando estes, genericamente, idênticos problemas e desafios, no sentido em que procuram assegurar, de forma eficiente, a emissão monetária e a colocação em circulação da moeda legal necessária à economia nacional, garantindo a sua qualidade e autenticidade.

No que toca à emissão monetária, meios e instrumentos de pagamentos, o Banco de Cabo Verde enquanto autoridade monetária e banco emissor, emite e põe em circulação notas e moedas metálicas do escudo cabo-verdiano, com curso legal e poder liberatório, incluindo as comemorativas.

“O numerário permanece como um importante meio de pagamento, não obstante a preferência crescente da população cabo-verdiana por instrumentos de pagamento alternativos de acordo com os dados apresentados no Relatório Anual de 2017”, anuncia a nossa fonte.

Celso Lobo

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade



Mediateca
Cap-vert

blogs

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project