Legislativas 2021

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Fogo: Eva Ortet defende a visão de «um grande Fogo» com conclusão do Anel Rodoviário e maior aeroporto 02 Abril 2021

A cebeça-de-lista do PAICV pela ilha do vulcão às legslativas de 18 de Abril, Eva Ortet, defende «uma visão de um grande Fogo» competitivo e com atração de quadros e empresários. «Em primeiro lugar, temos a nossa visão de um Fogo grande, produtivo e abastecedor do mercado nacional e da nossa vasta diáspora. Queremos um Fogo competitivo e atrativo para os quadros e para empresas. E para isso é fundamental que haja investimentos em infraestruturas e em capital humano que projecta a ilha para a realização desta visão estratégica». A antiga minsitra da Agricultura e Ambiente no governo de José Maria Neves propõe um forte pacote de investimentos para a ilha, com destaque para a conclusão do famoso Anel Rodoviário com asfalto, iniciado pelo anterior governo do PAICV. «Especificando, vamos, sem sombras de dúvidas, continuar o projecto do anel rodoviário, ligando Patim a Cova Figueira e ligando Campanas a Mosteiros. Ainda neste setor, vamos levar a estrada de Pai António, nos Mosteiros, a “Monte Velha” e a estrada de Estância Roque a Cabeça de Fundão, permitindo uma rápida ligação a Chã das Caldeiras, por ser importante por razões de proteção civil, turísticas e agroindustriais. Em relação às infraestruturas económicas, o nosso foco será em ampliar o aeródromo de São Filipe, transformando-o num verdadeiro e aeroporto com capacidade para receber voos internacionais. Vamos materializar o compromisso de construir o porto dos Mosteiros com funções de porto de pesca e de marina de apoio ao turismo náutico e recreio», promete Eva Ortet, que tem dois pesos pisados do sistema tambarina como primeiro e segundo da lista: o antigo presidente da Câmara de São Filipe (Luís Pires) e o ex-Edil dos Mosterios (Carlos Fernandinho Teixeira). Em entrevista exclusiva ao Asemanaonline, anuncia como meta eleger 4 dos 5 deputados pelo círculo eleitoral do Fogo. Confira mais detalhes a seguir.

Fogo: Eva Ortet defende a visão de «um grande Fogo» com conclusão do Anel Rodoviário e maior aeroporto

A Semana - Como qualifica a lista que lidera no tocante a gênero, competência técnica e representatividade dos três concelhos do Fogo?

Eva Ortet- A lista que lidero é uma lista representativa da ilha do Fogo e respeita, integralmente, a lei da paridade. Ademais, integra personalidades com reconhecida competência técnica e política para melhor representar a ilha do Fogo no Parlamento Nacional.

De que forma pretende fazer a campanha eleitoral ?

- Considerando a circunstância de ainda estarmos em pandemia, numa postura responsável, tencionamos segmentar os nossos encontros de socialização da plataforma, por grupos socioprofissionais, por localidades e por faixas etárias, reunindo menos pessoas, em mais encontros. Vamos aumentar o número de viaturas circulando as nossas mensagens, investir mais na propaganda gráfica e no recurso às redes sociais. Nas visitas às localidades, não vamos entrar na casa das pessoas e só o porta-voz de cada grupo, falará com as famílias, observando todos os protocolos e regras de segurança sanitárias vigente no país. A nossa linguagem será, no timbre habitual, a mais correta possível. Falaremos de projetos e de ideias de desenvolvimento da região Fogo como uma região produtiva e que se quer importante para o todo nacional, e não de pessoas. Queremos, cada vez mais, que a política seja algo nobre e que dignifique os seus atores, independentemente do calor das disputas democráticas circunstanciais.

Prioridades com Anel rodviário, extensão do aeroporto e caís nos mosteiros

Que propostas fortes o PAICV vai apresentar para relançar o desenvolvimento do Fogo?

- Em primeiro lugar, temos a nossa visão de um Fogo grande, produtivo e abastecedor do mercado nacional e da nossa vasta diáspora; queremos um Fogo competitivo e atrativo para os quadros e para empresas. E para isso é fundamental que haja investimentos em infraestruturas e em capital humano que projecta a ilha para a realização desta visão estratégica.

Vamos criar um ambiente favorável e atrativo, capaz de trazer para o Fogo grandes investimentos públicos e privados, dando mais emprego à população, com particular destaque para os mais jovens.

Especificando, vamos, sem sombras de dúvidas, continuar o projecto do anel rodoviário, ligando Patim a Cova Figueira e ligando Campanas a Mosteiros; ainda neste setor, vamos levar a estrada de Pai António, nos Mosteiros a “Monte Velha” e a estrada de Estância Roque a Cabeça de Fundão, permitindo uma rápida ligação a Chã das Caldeiras, sendo importante por razões de proteção civil, turísticas e agroindustriais; Em relação às infraestruturas económicas nosso foco será em ampliar o aeródromo de São Filipe, transformando-o num verdadeiro e aeroporto com capacidade para receber voos internacionais; vamos materializar o compromisso de construir o porto dos Mosteiros com funções de porto de pesca e de marina de apoio ao turismo náutico e recreio; por outro lado, e em estreita articulação com as câmaras Municipais da ilha, vamos construir e reabilitar o maior número possível de habitações sociais e vamos trabalhar para que todas as famílias do Fogo tenham acesso à água potável e à energia elétrica; para fomentar o setor agropecuário pretendemos mobilizar mais água, através da construção de galerias, novos furos de água e humanizar o parque natural do Fogo, introduzindo plantas fruteiras e forrageiras, em toda a sua extensão, incluindo nas encostas da Serra; trabalharemos incansavelmente para a criação do Centro universitário do Fogo, com vocação para o setor agropecuário, a vulcanologia, a geologia, entre outros, fomentando o emprego e o autoemprego jovem; para Chã das Caldeiras que foi totalmente abandonada por este governo, vamos levar todas as infraestruturas fundamentais e ampliar as estradas de penetração e de ligação a Campanas de Cima; será também uma das nossas grades apostas, construir um aterro sanitário para a ilha e iniciar projetos de rede de esgotos e de tratamento de águas para as cidades de São Filipe, Mosteiros e Santa Catarina do Fogo; nossos emigrantes serão muito acarinhados e promovidos a investidores privilegiados ao lado dos nossos operadores económicos residentes; estaremos atentos à saúde dos foguenses, pelo que vamos dotar o hospital regional de um centro de diagnóstico por imagem, introduzir a ressonância magnética nuclear e humanizar a prestação de cuidados de saúde. Igualmente serão disponibilizados especialistas para que seja uma referência de saúde na região Fogo e Brava. São Filipe verá masterizada o sonho de ter o seu Centro de Saúde.

De forma mais específica, a conclusão do Anel Rodoviário do Fogo vai ser a grande aposta da sua lista?

- Ao longo destes últimos cinco anos, o MPD comprovou que tudo o que dizia a respeito do anel rodoviário, não passava de conversa fiada. Criticaram quando estavam na oposição e não fizeram absolutamente nada, enquanto governo. O Anel será, sim, retomado porque é um investimento fundamental para alavancar o processo de desenvolvimento da ilha e garantir uma ligação de qualidade entre os 3 municípios. Será, sim, uma das nossas grandes apostas para o Fogo. Obras boas, estruturantes e tão importantes como o Anel, o aeroporto, o porto, não podem parar.

Apostas no setor primário e metas da lista

E a nível da agricultura e das pescas?

- Fogo tem grandes potencialidades no domínio da agricultura e entendemos que o setor das pescas precisa de uma grande revolução. Na agricultura vamos retomar os grandes investimentos feitos pelos governos do PAICV, aumentado a quantidade de água para a rega, equipando os furos que fizemos no passado e que foram deficientemente equipados, construindo galerias lá onde for possível, incentivando e financiando a introdução de mais plantas fruteiras e apoiando os agricultores no combate às pragas. Faremos também uma forte aposta nas energias renováveis para diminuir os custos de produção de assim reduzir cada vez mais o preço da água para agricultura e pecuária. Igualmente, propomos eliminar o IVA na água para agricultura e pecuária, dando assim a satisfação a uma justa reclamação dos homens do campo. No que concerne à pesca, vamos ajudar a todos os pescadores na aquisição de equipamentos de navegação e kits de segurança, vamos ajudar os pescadores na construção e aquisição de botes de maior dimensão, além da construção e reparação de acessos a portos de pesca. Vamos ainda trabalhar para equipar os principais portos da ilha com máquina de produção de gelo para ajudar a melhorar a qualidade no sector. Periodicamente irá-se promover a dragagem de areia no porto de pesca que construímos em Barca-baleeira e que neste momento está completamente assoreado.

Em termos de meta, quantos deputados pretende o PAICV eleger no Fogo no dia 18 de Abril?

- Pela nossa dinâmica de terreno, pelo potencial da nossa lista, pela forte simpatia com que estamos a ser recebidos nas localidades, estamos seguros, em como vamos eleger quatro, dos cinco deputados da ilha. Os foguenses estão convictos que é preciso resgatar o país da má governação promovida por este governo do MPD e Inverter este ciclo é um imperativo. Neste sentido o feedback que temos é que a ilha do Fogo irá confiar massivamente no PAICV para estes novos tempos de governação no pós pandemia que para além de exigir um bom governo, exigirá um sério comprometimento com as causas da boa governação e amor ao país. O PAICV está preparado para assumir as rédeas do país e Fogo dará este conforto com o seu voto de confiança.

Lista de Deputados do PAICV pelo Círculo Eleitoral do Fogo

1. Eva Verona Teixeira Andrade Ortet
2. Luís Joaquim Gonçalves Pires
3. Carlos Fernandinho Teixeira
4. Clara Gomes de Andrade
5. Almeida Alberto dos Santos Louro
6. Manuela Barbosa Lopes
7. João Francisco Nunes Pires Monteiro
8. José Manuel Ledo Pontes da Rosa
9. Maria Nova Gonçalves Barros Montrond
10. António Alberto de Andrade

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project