AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Conversa I. — Saúde, meia basta a quem bem entende 31 Agosto 2022

- Fosse eu MS, demitia-me.
- A ministra da Saúde de Portugal demitiu-se esta madrugada.
- De madrugada, porquê!?
- Horas depois de vir a público o caso da grávida que morreu após ser transferida por falta de vaga na neonatalogia do Santa Maria.

Conversa I. — Saúde, meia basta a quem bem entende

A-Porquê de madrugada?

B-Foi horas depois de vir a público que na terça-feira, da semana passada, uma grávida tinha morrido após ser transferida por falta de vaga na neonatalogia do Santa Maria.

A-Não percebo por que motivo sai agora a ministra que aguentou tanta turbulência, deixa ver, a trágica terceira vaga da pandemia no país, depois de tanto elogio nacional e internacional pela gestão da Covid nas duas primeiras vagas.

B-Foi em março de 2021 o pior, após as medidas brandas do Natal, isso que levou à 3ª vaga, com Portugal a ter os piores resultados do mundo.

A-Continuo a não entender por que motivo sai agora a ministra — quando tudo aponta que a transferência, que terá salvado o bebé, não causou a morte da mãe.

B-Ouve a nota enviada pelo Ministério da Saúde às redações na madrugada de hoje: «A ministra da Saúde, Marta Temido, apresentou hoje a sua demissão ao primeiro-ministro por entender que deixou de ter "condições para se manter no cargo"».

A-"Sem condições": meia palavra basta para entender que ela queixa-se da falta de apoio dos chefes de Estado e de Governo. Que mais podia ela fazer?
...
B-Fez ela bem, a ingratidão foi a gota fatal.

Prioridade prioritária, a vida humana, que valor tem ?

B-Fosse eu MS, demitia-me!

A-Demitias-te?

B-Ano após ano, a mesma tragédia... E sobre o MS a responsabilidade, que tem sobre os ombros, mas dependente do guardião do cofre a quem Ulysses obstruiu a audição para que surdo não ouvisse a voz da razão a ditar-lhe a Prioridade prioritária. E perguntas-me porquê?

A-Entendi! A depressão aproxima-se, todos sabemos mas fingimos que "Deus vai ter piedade".

B-A tempestade é a falta de prevenção, que não deixa por um exemplo um dos barcos da Guarda Costeira a "dormir" na ilha mais remota, onde vive gente e morre gente jovem por falta de transporte...

A-Pessoas morrem por falta de socorro médico, por falta de transporte, por falta de uma embarcação mesmo quando há meios marítimos atribuídos, como esses sete ou oito navios da Guarda Costeira, já não sei se uma ou duas aeronaves.

B-Temos sempre a desculpa de que o país é pobre... Mas há dinheiro para criar mais uma Autoridade Reguladora — que até admito ser necessária, mas não é a Prioridade prioritária ...

A-A vida humana devia corresponder à Prioridade prioritária.

B—"Sem condições", eu MS, demitia-me!

A-É, meia palavra basta.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project