LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Conversa Interrompida – Juiz de ti a tua orelha, segundo o Direito... mas qual? 08 Abril 2021

Ah!, a dra autoriza? mas ninguém entra antes de mim.

Ah!, fura-fila: não havia necessidade!

Conversa Interrompida – Juiz de ti a tua orelha, segundo o Direito... mas qual?

A: Ouve a última —

B: Houve a última ?—

A: Tens de atalhar, hein? Peço-te que desta vez não me cortes a palavra e me ouças, combinado? —

B: Ah!, é para te ouvir! —

A: Sim, até ao fim. Combinado? —

B: Okei, está combinado! —

A: Então cá vai: estou numa fila de umas quatro. De repente chega mais uma—

B: Isso foi onde? —

A: Ouve até ao fim, sem intervires —

B: Mas... —

A: Tu, escuta!—

A: Isso mesmo: Essa pessoa, a quem vamos chamar Quinta, avança para antes do primeiro na fila e diz ao segurança— ou outro gerente das entradas — para chamar o/a senhor/a fulano/a —

B: Mas... —

A: Tu só escutas! —

A: A fila entretanto já tem mais pessoas. A Quinta já deve estar em décima posição quando chega a pessoa requerida, de bata branca. Cumprimentam-se efusivamente e a de dentro diz ao segurança para "depois que sair a próxima" deixar que a Quinta entre.

B: Hein!, mas quem te disse?

A: Ouve: a primeira na fila diz "Ninguém entra antes de mim”. Toda a fila repete o mesmo, certo?

B: Sim, mas só não entrei porque não quis!—

A: Ah, reconheces-te? O teu Direito serviu-te de muito, hein?—

B: Mas o que é que tem? Eu estava com pressa —

A: E pediste a uma pessoa amiga —

B: Sim, tive receio de que a fila fosse grande —

A: O teu tempo é mais precioso —

B: Lá vens tu com as tuas coisas —

A: O teu Direito é para teu proveito —

B: Se estivesses no meu lugar —

Ah!, fura-fila: não havia necessidade

A: Não, não procuraria furar a fila. O respeito pelas regras tem de acontecer, sim. Mas há várias minhoquices aqui a furar o dia-a-dia, todos os dias, de gente que procura mostrar o seu status, de certeza que ilusório —

B: Bom, consola-te que eu perdi a minha vez, de Quinta passei para Décima —

De nota

O caso acima ilustra a chamada idiossincrasia nossa, que uma personagem de Ilhéu de Contenda aponta. Não se lembra? Veja o filme, compare com o livro.

Para lá do Paralelo-14, os fura-filas são uma nova espécie, bem humana, destes tempos de pandemia. Também estão sob a lupa das autoridades — que com a sua trave andam atrás do argueiro no olho de outros. Os investigados por vacinação indevida que saem das esferas de dirigentes.

O mesmo repete-se, mundo fora: grupos prioritários perdem a vez na fila, em detrimento de privilegiados. Muitos procedem das esferas altas, das autoridades que furam a fila.

Mas há casos aleatórios que se destacam: enquanto milhões de pessoas prioritárias esperam nos Estados Unidos, houve jovens e saudáveis que conseguiram já estar vacinados, mesmo que por acaso: a sua sorte foi que as vacinas só são válidas no dia de abertura do frasco. Um passeava no shopping e outro ao passar por uma clínica local no fim do expediente foi chamado para receber a sobra do dia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project