ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Covid-19: Caso de mulher morta com duas variantes detetado na Bélgica 13 Julho 2021

Investigadores de um hospital de Aalst, no norte da Bélgica, detetaram o caso de uma mulher com mais de 90 anos que morreu em março infetada com duas variantes do coronavírus, a alfa e a beta, foi divulgado este domingo,11.

Covid-19: Caso de mulher morta com duas variantes detetado na Bélgica

De acordo com a agência Efe citada pela Lusa, os investigadores do hospital Onze-Lieve-Vrouwziekenhuis (OLVZ) detetaram o caso de infeção com SARS-CoV-2 pelas variantes alfa (aparecida no Reino Unido) e a beta (originária da África do Sul).

"Trata-se de um dos primeiros casos de coinfeção com duas variantes preocupantes de SARS-CoV-2", assegurou a bióloga molecular Anne Vankeerberghen, autora do estudo, em declarações ao diário De Morgen.

A mulher em causa, que não tinha sido vacinada, deu entrada no centro hospitalar em março, depois de ter testado positivo ao coronavírus.

Apesar dos seus níveis de oxigénio serem bons num primeiro momento, o seu estado de saúde deteriorou-se com rapidez e faleceu cinco dias depois de entrar no hospital.

Conforme descreve a mesma fonte, quando foram realizadas as provas para detetar as variantes preocupantes, o pessoal médico descobriu que a paciente se tinha contagiado com a alfa e beta.

"Ambas as variantes circulavam pela Bélgica nesse momento, pelo que é provável que a mulher se tenha coinfetado com diferentes vírus, de duas pessoas diferentes", disse a bióloga, reconhecendo que os investigadores não sabem a origem do contágio.

De acordo com Anne Vankeerberghen, é "difícil" saber se a infeção com as duas variantes influenciou a rápida deterioração do estado de saúde da idosa.

A investigação ainda não foi enviada para uma revista médica, mas será analisada no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas (ECCMID).

Num comunicado citado no jornal De Morgen, a investigadora Anne Vankeerberghen afirmou que não há outros casos publicados de infeções com duas variantes, mas acrescentou que esse fenómeno "provavelmente está subestimado", em parte devido às poucas provas que se realizam para detetar as variantes, refere a Lusa.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 4.013.756 mortos em todo o mundo, resultantes de mais de 185,5 milhões de casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o balanço mais recente feito pela agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, uma cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil e Peru.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project